Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Apesar da construção de reservatórios que ampliaram em 300 mil litros a capacidade de armazenamento, moradores do bairro Taboão em Rio do Sul continuam sofrendo com falta de água frequente. Nessa semana o problema voltou a ser registrado e a população cobra um posicionamento da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan).

Hélcio José Stolf mora no Taboão há quase 35 anos e afirma que o problema é recorrente desde que a rede foi implantada. “Fiz minha casa, se não me engano em 2010, e desde lá já sabia do problema então já fiz para bastante estoque de água, mas percebo que os moradores têm mais dias sem água na torneira do que com. Mesmo com cerca de dois mil litros no reservatório eu fiquei sem então isso quer dizer que já estamos há pelo menos uns quatro dias sem água”, afirmou.

Ele comenta ainda que o atendimento da Casan em relação ao problema também deixa a desejar. “É péssimo. Fiz o protocolo pelo aplicativo, mas as pessoas ligam lá e a atendente diz que não tem nenhuma solicitação, sendo que muitos já postaram o número do protocolo no grupo de moradores do bairro. Já fiz denúncia na ouvidoria, vira e mexe fazemos protocolo, mas a gente acaba perdendo a fé de que será resolvido, não nos transmitem nenhuma segurança, nunca sabemos se terá água na torneira”.

Vanessa Marçal de Souza mora no Loteamento Tucano e também conta que a falta de água no bairro é constante e os problemas são registrados geralmente no final de semana. “É justamente o período que o pessoal está em casa, precisa fazer a limpeza da casa, roupas. Tenho caixa de água, mas a gente utiliza para banho, higiene pessoal e não sobra para mais nada. Essa é uma reclamação que tem sido bem contínua e percebo que os moradores cobram a falta de organização da Casan porque os moradores ligam, registram o protocolo e sempre dizem que não tem nenhum registro de falta de água no bairro, então a gente não entende”, ressaltou.

O presidente da Associação de Moradores do Bairro Taboão, Ivonei Leandro comenta que há anos a entidade busca a solução dos problemas em relação a falta de água. “Inúmeras vezes durante anos a Associação levou até a Casan essa situação que o Taboão vive entendendo o aumento na demanda, mas cobrando a melhoria para que não tenha tanta falta de água e houve inúmeras conversas com o comprometimento da companhia em resolver. Eles colocaram dois reservatórios de água, mas agora tivemos o rompimento de uma adutora e mais uma vez ficamos vários dias sem água e a preocupação é que algumas vezes não bate o que nos dizem pois levamos o protocolo, falamos da falta de água e eles comentam que está tudo normal”, explica.

O que diz a Casan?

O chefe da Agência de Rio do Sul, André Zagheni, comenta que uma adutora rompeu na sexta-feira (11) o que acabou comprometendo o abastecimento. “O Taboão é todo abastecido por bombeamento então tem uma estação de recalque que fica próximo a Fundição estrela e tivemos o rompimento de uma adutora, o que afetou o abastecimento do bairro como um todo. Ela foi consertada ainda na sexta-feira, mas no sábado notamos que a bomba que abastece a parte mais alta apresentou falhas no funcionamento. Nessa segunda substituímos e o abastecimento está sendo normalizado gradualmente”, disse.

Ele afirma que a previsão é que até a manhã desta terça-feira todos já tenham o abastecimento de água normalizado.