Cidade
Foto: CRS/DAV

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Trechos praticamente intransitáveis. Essa é a realidade da BR-470 no Alto Vale, uma situação que piora ainda mais no período de chuvas e que tem revoltado motoristas que precisam trafegar pela região. Com frequência muitos têm prejuízo com pneus furados e até danos mais graves aos veículos

A professora Silvana Mara Cristóvão da Silva mora em Ibirama e diz que evita passar pelo trecho e atualmente sente medo ao trafegar pela BR-470. “Antes ia passear, ia até Indaial, Blumenau, Rio do Sul, facinho. Agora me causa medo de quebrar o carro, de bater ao desviar de crateras. É um absurdo o que estamos passando aqui no Médio e Alto Vale por causa dessa BR”, disse.

Olíndio de Souza Júnior comenta que já foi multado ao tentar desviar dos buracos. “Tomei uma multa de 2 mil e pouco por ir ao lado contrário para desviar buracos. Alegaram que é como ultrapassar na faixa dupla. A faixa era dupla sim, mas era isso ou roda quebrada, pirambeira e rio a dentro”, opina.

Carina Brandl mora em Trombudo Central, mas trabalha diariamente em Rio do Sul e também ressalta o estado crítico da rodovia. “Tem lugares que nem tem mais como desviar dos buracos e é preciso passar pelo acostamento o que é perigoso para os motoristas e para os pedestres, isso sem contar o prejuízo, porque diariamente vejo pessoas paradas trocando pneu. A noite e com chuva é ainda pior”, comentou.

O superintendente do DNIT em Rio do Sul, Cristhiano Zulianello comenta que a ordem de serviço para o contrato de manutenção da rodovia foi assinada no dia 10 de setembro e contempla reparos entre o km 73,2 e o km 199,6 e que o serviço vai sendo executado a medida do possível. “A empresa vem fazendo tapa buracos, mas em função das chuvas dos últimos dias, não só não foi possível acelerar o processo, como também abriram inúmeros novos buracos”, argumentou.

O órgão informou que existe um cronograma para a operação tapa-buracos que iniciou nesta segunda-feira (20) com o serviço sendo realizado do Km 74 ao 95 e feita a conserva rotineira do Km 80 ao 86.

Ele comenta que a operação tapa-buracos segue pelas próximas semanas. “Nas semanas seguintes também, faremos conforme necessidade e também quando as condições climáticas permitirem. Na primeira semana de outubro será iniciada a restauração funcional do pavimento entre Ascurra e Apiúna”, finaliza.