Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Prefeitura de Rio está implantando sete vagas de estacionamento rotativo para motos de entregadores no centro da cidade. A medida será uma espécie de teste e pode ou não ser efetivada dependendo dos resultados obtidos num determinado período.

As vagas já eram de estacionamento de motocicletas, mas agora devem ser utilizadas preferencialmente para aqueles proprietários de motos que realizam entregas. Elas são localizadas em três bolsões específicos para motos na rua Carlos Gomes, no Centro, com pintura no chão, sugerindo o uso por até 15 minutos.

Em nota enviada pela Assessoria de Imprensa, a Prefeitura de Rio do Sul informou que esta seria uma forma de atender uma demanda dos motociclistas que relatam dificuldade em encontrar local para estacionar em alguns momentos do dia.
A nota explica ainda que a sinalização está apenas em fase de testes e não haverá punição para quem descumprir, por não ser prevista pela legislação de trânsito.

Ainda de acordo com a Prefeitura, na rua Carlos Gomes, há três áreas reservadas para estacionamento de motocicletas, com 34 vagas no total. Duas destas áreas receberam sinalização de dois espaços de parada por até 15 minutos e outro com três vagas.

No mês passado as vagas para motocicletas já haviam sido tema de uma indicação do vereador Adilson Bonfanti (PSD) que solicitou a criação de vagas gratuitas de estacionamento rotativo. Segundo ele, a implantação é necessária considerando o aumento do número de profissionais que exploram atividades de moto táxi, com a finalidade de realizar entregas de equipamentos ou por meio de aplicativos para satisfazer o pedido dos consumidores

“Então é necessário disponibilizar vagas de estacionamento rotativo para garantir maior eficiência desses serviços”, argumentou o vereador.
No documento ele ressaltou ainda que atualmente não há, em nenhuma vaga de estacionamento, limite de tempo para motos e o motorista que primeiro estacionar fica no local por tempo indeterminado. Segundo Bonfanti em muitos casos, os motociclistas utilizam vagas destinadas ao uso de automóveis, o que gera conflito entre os condutores.