Alto Vale
Foto: Divulgação

 

Jorge Matias

 

O Governo do Estado precisou refazer os cálculos de arrecadação com o leilão do pré-sal. A União esperava conseguir mais de R$ 100 bilhões com a oferta de quatro lotes na bacia de Santos, mas duas áreas não receberam ofertas e os recursos provenientes do leilão totalizaram apenas R$ 69,89 bilhões, quase 32% a menos que o esperado. Com isso, a quantia que será recebida pelos municípios do Alto Vale caiu de R$ 28,2 milhões para R$ 13,7 milhões.

 

Além do Governo do Estado, que irá utilizar o recurso para reduzir o déficit de R$ 4, 3 bilhões da previdência, os municípios também têm direito a uma parte do dinheiro. Anteriormente, a Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), realizou o cálculo que apontava para uma quantia de R$ 412 milhões a ser distribuída entre as 295 cidades de Santa Catarina, no entanto o valor repassado será de R$ 207 milhões, menos que a metade da verba esperada, caso o leilão tivesse terminado com a cessão dos quatro campos e a arrecadação cheia esperada pelo Governo Federal.

 

Os números fazem parte das estimativas por cidades divulgadas pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Um novo levantamento realizado pela Associação dos Municípios do Alto Vale (Amavi), aponta que os 28 municípios da região irão dividir cerca de R$ 13,8 milhões. Antes do leilão, a estimativa era de quase R$ 29 milhões. A quantia é baseada nos critérios de divisão do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Confira os números na tabela.

 

A prefeita de Chapadão do Lageado, Marli Goretti Kammers (PMDB), disse que já havia feito o projeto para a investimento de R$ 763.520 na infraestrutura do município, e que agora com a metade da verba, será necessário elaborar outro projeto. “Vamos refazer o projeto, porque nenhuma empresa vai aceitar participar da licitação com a metade do recurso disponível”, disse.