Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A 6ª edição do Natal Solidário promovido pela Comissão BR-Haiti e Pastoral do Migrante, em Rio do Sul, será realizada no dia 18 de dezembro. A intenção é arrecadar alimentos, dinheiro e guloseimas para entregar a famílias carentes. Além disso, o grupo também está preparando uma apresentação que deve ocorrer na mesma data, às 18h30 na escolinha do bairro Barragem.

A coordenadora diocesana da Pastoral do Migrante e assessora da Comissão BR-Haiti, Neide Maria Machado, conta que ainda não se sabe quanto será arrecadado, mas ressalta que o evento dependerá de doações. “Não sabemos o que vamos arrecadar, nossa esperança é manter o que fizemos nos anos anteriores, mas isso vai depender das doações que recebermos. Estamos arrecadando alimentos como arroz, feijão, macarrão, molho de tomate para as famílias mais necessitadas. Também estamos arrecadando valores em dinheiro para comprar sanduíches, pão de queijo e bolo para entregar no dia da encenação de Natal, guloseimas ou brinquedos para as crianças. Toda ajuda será bem-vinda”, comenta.

Neide afirma que o que difere esta edição das anteriores é a encenação que está sendo ensaiada pela Comissão para apresentar no dia 18. “A Comissão BrHaiti está se preparando para uma encenação de Natal que vai acontecer no dia 18 de dezembro, às 18h30 na escolinha da Barragem, uma escola abandonada que estamos arrumando com a ajuda de amigos e dos próprios imigrantes”, afirma.

O Natal Solidário nasceu em 2016. Na época, Neide e uma amiga resolveram dar início a uma ação que incentivasse a solidariedade para catequizandos da Catedral. Ela conta que cada família apadrinhou outra família carente. A ação resultou em ajuda para 35 grupos familiares e por isso teve continuidade.

“Andrea Roussenq e eu estávamos trabalhando junto aos catequizandos da Catedral. Queríamos que depois de uma caminhada eles tivessem a experiência viva de um ato de solidariedade, então cada família dos catequizandos apadrinhou uma família do bairro Barragem. Foi uma noite linda, tivemos um momento de convivência, um momento de oração e a entrega do que havíamos arrecadado. A experiência foi repetida por mais dois anos junto a essas famílias”, lembra.

Segundo Neide, em 2019 foi criada na Diocese de Rio do Sul a Pastoral do Migrante, ano em que também chegaram muitos imigrantes do Haiti, que estavam em situação de vulnerabilidade. Então, o Natal Solidário também os colocou entre os beneficiados. “Já vínhamos trabalhando também com os imigrantes desde 2016. Então fizemos a nossa 4ª e 5ª edição do Natal Solidário junto aos que são atendidos pela Comissão BrHaiti. Com ajuda de amigos e algumas instituições que nos apoiaram conseguimos atender mais de 100 famílias com alimentos para uma ceia de Natal. Dentre essas famílias mantivemos a ajuda para os recicladores. Em 2020 arrecadamos mais de mil quilos de alimentos convertidos em mais de 100 sacolões que foram distribuídos entre os haitianos, venezuelanos e os recicladores”, completa.