Cidade
Luana Abreu/DAV

 

Luana Abreu

 

Em fase bem adiantada da execução, o novo prédio do Fórum da Comarca de Rio do Sul, no bairro Laranjeiras, pode ser entregue até junho, pelo menos 30 dias antes do prazo previsto.

 

De acordo com um dos engenheiros responsáveis pela estrutura, Renato Fonseca D’Acâmpora, a obra está 40 dias adiantada no cronograma.

“Apesar de estarmos bem adiantados, vamos manter o prazo de entrega para o final de julho. Pode haver algum imprevisto nesse meio tempo e não queremos antecipar as coisas”, explica.

 

O investimento total dessa nova etapa, que teve início em outubro de 2018, é de cerca de R$ 18 milhões. O Fórum, construído em um terreno que foi doado pela prefeitura de Rio do Sul, terá 10 mil metros quadrados e atenderá inicialmente a 10 varas. Projetada pela Diretoria de Engenharia e Arquitetura do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, a obra é composta de cinco blocos: um para o Ministério Público, um para o Salão do Júri e os demais para uso do Tribunal.

 

A edificação segue as normas técnicas de acessibilidade já que conta com elevador interno e plataforma elevatória externa para possibilitar o ingresso de cadeirantes. É também sustentável, com telhado ecológico que minimiza a incidência de calor nos ambientes, fazendo com que se economize energia elétrica do ar-condicionado. Além disso, o projeto prevê a reutilização da água da chuva para uso em vasos sanitários, para irrigar o gramado e para o sistema de refrigeração.

 

De acordo com o projeto, o Fórum terá espaços que permitirão acessos separados aos presos, juízes, promotores e familiares dos detentos em dias de julgamento. Os magistrados, por sua vez, poderão chegar às suas salas e aos locais de audiência de forma independente, utilizando-se de elevadores.

“O prédio é bastante completo, muito prático no seu uso e de alta tecnologia. É para ser durável, para ter longevidade e trazer mais desenvolvimento para essa região aqui do bairro Laranjeiras”, ressaltou D’Acâmpora.

 

De acordo com o diretor do Fórum, juiz Cláudio Márcio Areco Júnior, a nova sede “trará mais segurança aos 100 mil jurisdicionados e propiciará, além da economia mensal de R$ 10 mil com aluguel pelo Poder Judiciário, grande economia ao município-sede, que receberá a edificação do antigo Fórum”. Sede da região metropolitana do Alto Vale, a comarca é composta do município-sede e também de Agronômica, Aurora, Lontras e Presidente Nereu. Ao todo, são 300 mil habitantes.

 

A construção do novo Fórum foi iniciada em 2014, mas a empresa responsável descumpriu cláusulas contratuais e o contrato foi rescindido. Até o rompimento do contrato, a nova estrutura já havia consumido quase R$ 6 milhões. O investimento nesta nova etapa é de R$ 18 milhões, oriundos do Fundo de Reaparelhamento da Justiça.