Alto Vale
Foto: Helena Marquardt

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Já foi concluído o processo licitatório do último trecho da ligação asfáltica entre Rio do Sul e Presidente Getúlio. A empresa ganhadora foi a Empreiteira LZK que vai fazer o serviço por cerca de R$ 1,5 milhão. O convênio já foi formalizado, mas a ordem de serviço será assinada somente após o período eleitoral.

O extrato de convênio para a para a pavimentação asfáltica do último trecho da ligação foi publicado no Diário Oficial no dia 20 de agosto. Segundo informações repassadas pela Prefeitura de Rio do Sul, a licitação foi lançada no dia 17 de setembro e contempla a pavimentação de um trecho de 1.200 metros que é uma importante ligação entre o Vale Norte e capital do Alto Vale para desviar parte do fluxo de veículos que hoje passa pela BR-470.
De acordo com o secretário de Infraestrutura da prefeitura, Daniel Pasa, o próximo passo para a realização da obra de asfaltamento é a transferência de recursos do Governo do Estado, já garantidos pelo governador Carlos Moisés, mas isso não deve ocorrer antes do primeiro turno das eleições por conta das restrições de repasses entre estados e municípios em virtude da campanha.

No entanto, ele garante que a obra está pronta para começar. “Este é um passo importante para a pavimentação do trecho final entre Rio do Sul e Presidente Getúlio. Com todos os trâmites burocráticos já realizados, falta apenas a transferência de recursos, algo esperado para o final do ano, pelo Governo de Santa Catarina”, explica o secretário.

A pavimentação desse trecho é uma obra aguardada há muito tempo pela população e setor privado, já que em anos anteriores a maior parte da rodovia foi asfaltada, faltando apenas um trecho da via em Rio do Sul. A fiscalização da obra e acompanhamento do projeto ficará sob responsabilidade da prefeitura.

A jornalista Greice Sauer utiliza o trecho com frequência e acredita que ele merece mais atenção. “O fluxo de veículos aumentou bastante depois que a parte de Presidente Getúlio foi asfaltada. E mesmo sem o asfalto, enquanto a obra não sai, vejo que o Poder Público deveria se preocupar mais. Por ser uma ligação intermunicipal é o mínimo manter a estrada em boas condições para garantir a segurança dos motoristas e evitar prejuízos”, opina.