Alto Vale
Foto: Arquivo DAV

Prioridade para a Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de Santa Catarina há pelo menos cinco anos, as obras de reabilitação da ponte sobre o Rio Itajaí-Açu II, na BR-470, devem ficar para 2022. A estimativa é do Observatório da BR-470, mantido pela Associação Empresarial de Rio do Sul (Acirs).

Uma licitação para a reabilitação da ponte chegou a ser realizada pelo órgão em novembro, mas restou fracassada. Nenhum dos participantes aceitou executar os projetos e as obras pelo valor estipulado no orçamento, de R$ 8,3 milhões. Na oportunidade, todo o processo teve de ser devolvido pela superintendência regional para a sede do Dnit em Brasília, instância responsável pela revisão do orçamento do anteprojeto.

A estimativa feita pelo Observatório da BR-470 para o início das obras tem como base os prazos apresentados em diversos arquivos do DNIT. Um deles é o último relatório do Programa de Manutenção e Reabilitação de Estruturas (Proarte), elaborado pelo consórcio Engemap/Iguatemi para a autarquia. De acordo com o documento, o processo revisado deve ser remetido à superintendência regional apenas em junho e a empresa responsável pelo empreendimento deverá ser contratada até outubro.

Mesmo que o calendário de contratação se concretize, o início das obras ainda estará condicionado à elaboração dos projetos básico e executivo. O edital da primeira licitação já previa que a empresa vencedora do certame terá até seis meses para elaborar os projetos. Após entregues, eles serão submetidos à análise e aceitação pelo DNIT. Nesta fase, poderão ser requisitadas revisões aos projetistas, implicando em novas dilações do cronograma.

Diante dos prazos já estimados e conhecidos em cada etapa, a tendência é que as obras na ponte tenham condição de iniciar próximo ao segundo semestre de 2022.

Sobre a ponte

A ponte sobre o Rio Itajaí-Açu II, localizada entre os municípios de Apiúna e Ibirama, tem 200 metros de comprimento e apresenta condições de estabilidade e de conservação consideradas sofríveis pelo DNIT. O objetivo da autarquia federal é que toda a estrutura passe por obras de recuperação, alargamento e reforço estrutural.