Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O Observatório Social de Rio do Sul concluiu a avaliação de gastos com a Covid-19 na capital do Alto Vale. Durante vários dias, a entidade analisou os repasses do Governo Federal e como as verbas vinham sendo aplicadas na cidade, e não encontrou nenhuma irregularidade. O objetivo era garantir transparência na utilização do dinheiro público.

O levantamento diz respeito a valores recebidos pela prefeitura nos meses de março de 2020 a abril de 2021, quando o município recebeu ao todo 21 repasses por parte do Governo Federal que totalizaram cerca de 27.439.519,13. Segundo o presidente do Observatório Social de Rio do Sul, Ricieri Ramlov, desse total, a Prefeitura Municipal havia utilizado R$ 22.401.914,67.

Ele comenta que de acordo com a avaliação, a maior quantia, cerca de R$ 10.710.779,62 foram usados para pagamento da folha salarial dos profissionais da saúde que atuam na linha de frente da Covid-19. “Constatamos ainda que outros R$ 6.203.831,14 foram repassados aos hospitais do município e R$ 4.391.420,10 para aluguel de tendas da UPA, pagamento de diárias ao Hospital Regional, aquisição de livros educativos e equipamentos de informática”, explica.

O levantamento apontou ainda que na compra de testes rápidos a Prefeitura de Rio do Sul investiu R$ 641.745,00 e em máscaras, luvas e álcool foram gastos outros R$414.284,56. Analisando todas as despesas, o Observatório Social constatou que em abril a Prefeitura ainda tinha em caixa um total de aproximadamente R$ 5.037.604,46 de todo o valor que foi repassado. “Com esse trabalho, o Observatório promoveu a transparência desses dados e os levou ao conhecimento dos munícipes de Rio do Sul e em cima dessa pesquisa, outros trabalhos ainda serão e estão sendo realizados na intenção de verificar se a destinação desses valores se deu da forma correta”, finaliza o presidente.