Nacional, Sem categoria

Reportagem: Gabriela Szenczuk/DAV

Muito tem se falado em utilizar máscaras para evitar o contágio do coronavírus através das vias respiratórias. Entretanto, recentemente a Academia Americana de Oftalmologia fez um estudo que mostra que o risco de transmissão da doença através dos olhos também é grande.
Alex Camacho, médico oftalmologista de Rio do Sul, explica que a transmissão da Covid-19 pode acontecer através do contato com a mucosa do olho. “Se alguém contaminado espirra em outra pessoa e atinge os olhos dela, é possível haver a contaminação. Além disso, se alguém com o vírus coçou o olho e depois encostou em um objeto que outra pessoa saudável pode encostar, esta última pode ser contaminada também.”
O oftalmologista explica ainda que o contágio acontece porque o olho tem uma ligação direta com o nariz, o canal lacrimal. Este canal faz com que o vírus siga para as vias respiratórias acontecendo, então, a contaminação. Ele ainda diz que o ideal seria que as pessoas utilizassem óculos de proteção além das máscaras que estão sendo usadas. Além disso, o médico faz uma indicação aos pacientes: Que todos aqueles que usam lente de contato apenas por estética, neste momento, dêem preferência ao óculos de grau – uma vez que o uso das lentes exige o contato da mão do paciente com o olho ao menos duas vezes ao dia, aumentando o risco de contaminação através das secreções oculares.

Oftalmologista pede atenção com celulares

Nesta época de isolamento social a maioria das pessoas têm ficado em casa e utilizado o celular com maior frequência. A orientação é tomar cuidado com o excesso de tempo nos dispositivos móveis. “É necessário cuidar com o tempo de uso também. O ideal é utilizar tablets, celulares ou computadores por, no máximo 40 minutos, e deixar a visão descansar para não forçar muito e ocasionar um desconforto que pode levar à miopia”, alerta.

Cloroquina pode causar alteração ocular

Desde que o vírus se espalhou pelo mundo a cloroquina vem ganhando espaço nas discussões medicinais como forma de combate à doença. Porém já há confirmação de que o medicamento não previne, mas, sim, auxilia no tratamento de casos graves da doença.
Embora agora a compra da medicação só possa ser feita sob prescrição médica – visto que algumas pessoas fazem o uso por outras doenças – muita gente tem procurado pela substância nas farmácias. É por isso que o Dr. Alex alerta para possíveis efeitos colaterais. “Se a cloroquina for usada por muito tempo, como 4 a 6 meses, pode causar uma impregnação na retina, prejudicando a visão e podendo levar até à cegueira. Mas acredito que não haja casos assim, pois está sendo usada apenas para casos de Covid-19 e o tratamento da doença dura em torno de 15 dias.”