Cidade

Reportagem: Gabriela Szenczuk/DAV

A Polícia Civil do Estado de Santa Catarina deflagrou na manhã terça-feira (14) a operação Limpa Loja, na região da Grande Florianópolis. O nome da operação faz alusão ao tipo de crime cometido pelos investigados, já que a polícia repreende a associação criminosa investigada pela prática de furtos em lojas de roupas em diversas cidades de Santa Catarina, inclusive na capital do Alto Vale.

A Delegacia de Rio do Sul faz parte da coordenação da operação, bem como as delegacias de polícia de Santo Amaro da Imperatriz e Tubarão, uma vez que estas cidades realizam investigações sobre o crime.

Nas investigações foi revelado que os suspeitos integram uma associação criminosa especializada em crimes de furto que causam prejuízo nas lojas de roupas e que seriam os responsáveis por diversas ocorrências recentes em Santa Catarina, como por exemplo, em uma loja no Centro de Rio do Sul, onde os integrantes da quadrilha são investigados por três furtos sendo dois neste mesmo estabelecimento comercial,um em 2019 e outro na madrugada do dia 17 de fevereiro. O outro crime teria sido praticado no Centro de Agronômica e em cada um dos crimes os autores levaram praticamente todas as roupas da loja causando prejuízos que variaram entre R$ 50 mil e R$ 150 mil aos lojistas.

As diligências realizadas tiveram como objeto o cumprimento de 16 mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão preventiva econtra os suspeitos de fazerem parte da associação criminosa responsável pelos furtos. Foram cumpridas ordens judiciais simultaneamente na capital do Estado, Palhoça e em São José. Participaram da operação policiais civis da DPCo e DIC de Rio do Sul, DIC de Ituporanga e DPMu de Pouso Redondo, além policiais da DPCo, DIC e DPCAMI de Palhoça, DPCo de Biguaçu, DIC de São José e Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais – CORE. Foram empregados 62 policiais e utilizadas 17 viaturas.