Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Manuella Mariani

Um pedido de mais de 10 anos está próximo de se tornar realidade em Ibirama. Foi assinada nesta sexta-feira (10) a autorização para a construção da sede da 2ª Companhia de Polícia Militar do município. O ato foi realizado no gabinete do Centro Administrativo Ivo Muller e contou com a presença de autoridades e até do comandante geral da Polícia Militar em Santa Catarina.

O terreno para a construção da sede foi doado pelo município em 2009 e a atual sede da 2ª Companhia do 13º Batalhão da Polícia Militar está em um prédio alugado e que não atende às necessidades. Dionei Tonet, comandante geral da Polícia Militar do estado ressaltou que o edital de contratação da obra deve sair em 30 dias. “Estarmos construindo um prédio próprio e transformando ele efetivamente em uma unidade policial. Aqui teremos espaço para armamento e consequentemente teremos ampliação dos equipamentos à disposição e isso é uma melhoria muito grande no processo de segurança em Ibirama”, relata.

A obra será feita em um terreno ao lado da delegacia da cidade e foi orçada em R$ 1.115.839,13, valor que será custeado pelo governo estadual, sendo que 50% foi destinado por meio de emenda parlamentar do deputado estadual Jerry Comper. “Hoje é um dia muito importante, uma obra também muito importante de um trabalho que começou há muitos anos e passou por muitas mãos, mas no fim quem ganha é a população, que terão mais segurança”, falou o deputado.

O prefeito de Ibirama, Adriano Poffo, está feliz com a aprovação da obra para a segurança do município e também de cidades vizinhas. “Isso é de extrema importância, tanto para o trabalho da Polícia Militar, quanto para economia do estado que não precisa mais pagar aluguel. Com uma estrutura melhor, a polícia também faz um melhor atendimento ao cidadão ibiramense e da região”, disse o prefeito.

O comandante também contou que estarão construindo uma sede da companhia no município de Taió e Pouso Redondo. “Assim estaremos melhorando mais ainda a segurança da população do Alto Vale”, conclui.