Alto Vale
Foto: Adilson Turnes

O mês de outubro é dedicado a prevenção contra o Câncer de Mama e para contribuir com a Campanha do Outubro Rosa, duas ações serão realizadas na segunda-feira (9), em Ituporanga: a caminhada pela prevenção do câncer de mama e uma palestra abordando o assunto. A caminhada inicia às 17h e a palestra às 19h.

A concentração para a caminhada, que é tradição na capital da Cebola, será na rua Tenente Jacob Philippi, em frente a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR). No local haverá orientação sobre o câncer de mana e ovário, planejamento familiar, distribuição de preservativos, maquiagem e sorteio de brindes. “Logo após o trabalho de orientação seguiremos com a caminhada, sendo que nosso destino será o centro da cidade, a Praça Frei Gabriel. Nosso intuito é chamar a atenção das pessoas para que invistam na prevenção”, explicou Vanderleia Fermino, gerente regional da Saúde da ADR de Ituporanga.

Logo após a caminhada será realizada a Palestra “Câncer de Mama e Colo de Útero”, com a profissional Karla Denyse Evaristo. O evento inicia às 19h, será realizado no Salão Paroquial da Igreja Santo Estevão de Ituporanga e a participação é totalmente gratuita. O evento é uma promoção da Viacredi Alto Vale, por meio do Programa de Integração e Desenvolvimento de Cooperados e Comunidade (Progrid).

“Nosso intuito com a palestra é de poder levar a informação para todas as pessoas, principalmente as mulheres. Durante o encontro serão repassadas informações sobre o que é o câncer de mama e colo de útero, o que pode causar a doença, como fazer o diagnóstico e também o tratamento”, comenta Josiani Eger, coordenadora da Agencia da Viacredi de Ituporanga.

Como incentivo, as participantes da palestra a partir dos 20 anos, receberão uma autorização que vai oportunizar desconto nos exames de mamografia realizados no Hospital Bom Jesus, durante esse mês de outubro. Haverá também sorteio de brindes.
Os dois eventos, a caminhada e palestra contam com o apoio também da Associação Beneficente de Apoio aos Portadores de Câncer de Ituporanga (Abapcemai).

Mamografias são realizadas no Hospital Bom Jesus

A mamografia é um exame solicitado por ginecologistas e mastologistas, e serve para avaliar os tecidos internos da mama e diagnosticar precocemente os nódulos e tumores. O exame é realizado no setor de radiologia do Hospital Bom Jesus (HBJ).

“Para as mulheres entre 50 e 69 anos o exame é realizado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As demais precisam pagar pelo procedimento, e como forma de incentivo para a participação nessa palestra, todas as participantes que retirarem a autorização durante o evento terão desconto e pagarão nesse mês R$ 80 mesmo valor de quando elas são encaminhadas pelos Postos de Saúde”, explica Irmã Edelir Stupp, diretora do Hospital Bom Jesus (HBJ), entidade parceira do evento.

No setor de radiologia do Hospital Bom Jesus, os atendimentos para a realização do exame de mamografia são realizados das 7h às 12h e das 13h às 18h, sendo que atendimentos pelo SUS ocorrem apenas no período da tarde. Os agendamentos podem ser feitos pelo telefone 3533-7150.

Recomendação do exame de mamografia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a mamografia seja feita prioritariamente por mulheres entre 50 e 69 anos a cada dois anos. Entre as justificativas para essa determinação, estão os fatos de que há baixa incidência do câncer de mama entre as mulheres com idade entre 40 e 49 anos e de que ainda não existe comprovação de que os riscos são maiores que os benefícios. Os riscos estão relacionados às chances de um diagnóstico falso positivo, quando a doença aparece no exame, mas não existe de fato.

O Instituto Nacional do Câncer recomenda o mesmo que a OMS e a Sociedade Brasileira de Mastologia orienta que o exame seja realizado anualmente a partir dos 40 anos.

Uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) com informações do Sistema Único de Saúde (SUS) mostrou que apenas 25% das mulheres brasileiras com idade ente 50 e 60 anos, que deveriam fazer a mamografia anualmente, estão em dia com o exame. A recomendação da OMS é de que esse valor seja de pelo menos 70% para que haja impacto nas taxas de cura do câncer de mama.

Adriane Rengel