Cidade
Foto: CRS/DAV

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Um cruzamento na rua Ruy Barbosa, que dá acesso ao Centro de Rio do Sul e bairro Canoas vem sendo motivo de preocupação de familiares de estudantes e até mesmo da direção do colégio Sinodal Ruy Barbosa. Eles cobram melhorias no trânsito por parte da prefeitura e sugerem a instalação de dispositivos eletrônicos ou lombadas físicas para que motoristas tenham que reduzir a velocidade nas proximidades já que o local possui um fluxo intenso de veículos e tem registrado vários acidentes.

De acordo com o advogado Adriano Amaury Carvalho, que usa o trecho diariamente ao levar os filhos para o colégio, a velocidade com que os motoristas passam é preocupante e é preciso buscar soluções rápidas para tornar a via mais segura para os alunos e motoristas, visto que os acidentes acontecem com frequência no local. “O que a gente presencia diariamente, devido ao movimento, com carros vindos de Ituporanga em direção ao Canoas, carros vindos do Canoas em direção ao Centro são acidentes. Com isso surge uma preocupação muito grande, como pai com filhos matriculados no colégio Ruy Barbosa, porque é uma questão de segurança, tanto dos motoristas, quanto das crianças”, conta.

Para ele, a solução estaria em um estudo do trânsito no local para futura instalação de dispositivos que fizessem com que os motoristas reduzissem a velocidade. “O que a gente vê é que muitos passam em alta velocidade. Essa semana tivemos a ocorrência de um acidente grave e o que a gente procura junto ao poder público são soluções. Antes da pandemia a Guarda Municipal ficava no local, mas agora não temos mais essa presença nos horários de entrada e saída de alunos. Ao meu entender, a instalação de um semáforo seria de grande valia, um controle muito maior ”, sugere.

Confirmando a situação, Marcelo Migliorrini, proprietário do açougue que fica próximo ao cruzamento, afirma que já viu muitas colisões acontecendo e que alguns dias atrás, um veículo quase entrou no seu estabelecimento. “Tenho presenciado semanalmente vários acidentes, às vezes um acidente por dia. Essa semana quase que um carro entrou na minha loja, e na minha opinião, uma lombada física dos dois lados resolveria bastante, já que as placas de pare ou de velocidade média reduzida o pessoal não respeita. Uma lombada física ou um semáforo já resolveria a nossa situação aqui”, avalia.

A diretora do Colégio Sinodal Ruy Barbosa, Viviane Rosa Bennert também diz que está interessada em encontrar soluções que o problema seja de fato resolvido. Ela conta que no ano passado foram entregues ofícios e foi realizada até uma reunião com a prefeitura para debater o assunto e eles se comprometeram em fazer uma visita ao colégio. “Já entrei em contato com a prefeitura esse ano, entreguei também um ofício com solicitações, e sugestões em relação ao trânsito. É muito perigoso e são vários acidentes na esquina. Hoje nós até colocamos um funcionário para fazer a travessia das crianças, mas a gente sabe que não consegue dar acompanhamento para todos e é sim motivo de preocupação por conta da velocidade dos carros”, comenta.

No caso dos estudantes, o cruzamento não é o único problema. Ela relata que várias situações precisam ser resolvidas ainda, como é o caso da ciclovia. “Nós levamos várias situações diferentes, a mudança do início da ciclovia que está em frente à escola, a rua que está em frente sugerimos que fosse mão única, pedimos tachões/tartarugas no meio da pista para que as pessoas não retornassem pela Ruy Barbosa depois de sair do recuo porque isso também traz transtornos. Com relação ao cruzamento sugerimos faixa elevada para diminuir velocidade, semáforo para conseguir fazer esse controle e com relação a prefeitura colocou que estaria estudando o número de carros que passam por dia para fazer esse levantamento da necessidade. Só não tivemos essa visita, mas alinhamos várias possibilidades. A sugestão da prefeitura foi tirar a faixa de segurança da esquina e levar mais próxima a cabeceira da ponte. Várias ideias, uma conversa bem produtiva”, completa.

A reportagem entrou em contato com a prefeitura para saber sobre propostas de melhorias no trecho e de acordo com o Departamento de Comunicação algumas alternativas já foram avaliadas para o local, mas a implantação de semáforos não seria adequada em razão do fluxo de veículos na região, que poderia causar mais congestionamentos. A prefeitura declarou ainda que a sinalização no local deve receber melhorias pontuais nos próximos dias.