Cidade

Pela primeira vez, Rio do Sul recebe a palestra de Ana Canosa, renomada psicóloga clínica, terapeuta, educadora sexual e apresentadora de TV. Com o tema “Sexualidade, e agora? O que os pais precisam saber para entender seus filhos”, o evento acontece hoje, às 19h, no auditório do Colégio Dom Bosco. A palestra é direcionada a adultos de um modo geral, mas adolescentes que estão passando pela puberdade também são bem-vindos. Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 30, e cerca de 150 já foram adquiridos antecipadamente.

De acordo com Ana Canosa, a palestra irá abordar a puberdade na adolescência e focar em questões relacionadas à sexualidade. Além disso, a profissional irá esclarecer as dúvidas mais frequentes que os púberes têm, e orientar as famílias durante esse processo de descoberta. “Acho que o foco da palestra é principalmente esse, como os pais e os educadores podem ajudar na condução desse desafio que é você sair da família e se encontrar com um objeto de amor fora da família”, explica.

Ana, que palestra há mais de 25 anos por todo o Brasil, conta que uma das dúvidas mais frequentes dos pais é sobre como falar de sexualidade com seus filhos. Segundo ela, essa também é uma queixa comum dos adolescentes, que não sabem como conversar com os adultos sobre iniciação sexual. “Há famílias que já fazem esse trabalho desde a infância, de falar sobre sexualidade de maneira mais natural, e há famílias que têm mais dificuldades, porque também não aprenderam a falar sobre isso. Então, eu acho que a primeira dificuldade é como falar”, ressalta.

A especialista destaca a importância de trazer essa discussão para dentro dos colégios, religiosos ou não. Ela explica que o valor moral que a família, a religião ou outros segmentos ideológicos têm sobre o exercício da sexualidade é particular e deve ser respeitado. Apesar disso, não há como fechar os olhos para a ciência. “Eu tenho a informação e estou ali para escutar uma informação que é baseada na ciência. A ideia não é propor condutas, ninguém tem que propor condutas na esfera da sexualidade”, afirma Ana.

Para a palestrante, religião e ciência dialogam muito bem, desde que não existam imposições de nenhum dos lados. Segundo Ana, também não há uma ligação direta do que você tem como ciência, e do que vai propor como conduta. “Cada pessoa tem a sua conduta diante das informações que tem.

Eu acho que religião e sexualidade podem dialogar muito bem. Eu acho que as ciências podem dialogar com as religiões desde que seja um diálogo mesmo, nem imposição de um lado e nem imposição do outro”, conclui.

Carolina Ignaczuk