Cidade
Foto: Divulgação/Colégio Ruy Barbosa - Passeio de Lanternas realizado no ano passado

Receber o maior número de famílias do Alto Vale do Itajaí no evento. Este é o principal objetivo do Colégio Sinodal Ruy Barbosa, que está organizando o tradicional “Passeio de Lanternas”. A caminhada por várias ruas de Rio do Sul será realizada nesta quinta-feira (23), a partir das 20h. O evento é aberto ao público.

“O passeio serve para analisar também a forma como estamos nos preparando para as festas de fim de ano. É sempre bom refletir sobre o que nós fizemos neste ano e o que nós vamos fazer no próximo. E quem não conseguir uma lanterna também pode passear. O mais importante é valorizar o ambiente familiar”, revelou a coordenadora pedagógica do colégio, Adriana Thives.

Já está quase tudo pronto para a celebração. Funcionários, professores e alunos já estão produzindo as caixas com luzes, que serão iluminadas por lanternas ou velas.

Antes da procissão, as famílias também poderão assistir quatro apresentações culturais que serão exibidas nas dependências do Ruy Barbosa, a partir das 19h30: grupo de teatro Sankt Martin; grupo folclórico Vergissmeinnicht Infantil; grupo dos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental e grupo folclórico Vergissmeinnicht Juvenil.

Além do passeio, também será organizada uma Feira de Natal, nos dias 22 e 23 (quarta e quinta-feira), a partir das 17h45. Dentro do colégio serão vendidos produtos natalinos produzidos por artesãos de toda a região. Durante o evento serão exibidas duas apresentações culturais, uma comandada pelo grupo folclórico infanto-juvenil Neu Bremen Volkstangruppe, de Ibirama, e outra pelo grupo instrumental MEUC.

“O objetivo desta feira é dar uma chance para aqueles que desejam harmonizar melhor o ambiente para o Natal e as festas de fim de ano. Cada adereço pode ter um significado especial na vida de cada um de nós”, ressaltou Adriana.

Na Alemanha, procissões em homenagem a São Martinho são sempre realizadas no dia 11 de novembro e envolvem caminhada com lanternas e cavalo. A história revela que no rigoroso inverno de 334, numa noite muito fria, cruzou o caminho de São Martinho um mendigo. Ele estava a cavalo e cortou o manto em dois com a espada, dando metade ao pobre mendigo para que não morresse de frio.

Naquela mesma noite, Cristo teria aparecido para Martinho em sonho, trajando a metade do manto. Desde então ele é venerado como a personificação da virtude cristã de amor ao próximo.