Cidade
Foto: Rafael Beling/DAV

Vereadores, secretários municipais, servidores públicos e membros da comunidade acompanharam na manhã de ontem, no Gabinete do Centro Administrativo Prefeito Helmuth Baumgarten, a solenidade de transmissão do cargo de prefeito para Paulo Cunha (PSD), que assumiu interinamente a chefia do Executivo durante os 15 dias de férias do prefeito José Thomé (PSDB).

Na ocasião, Cunha lembrou que em quase um ano de gestão houve avanços significativos nas ações da Secretaria de Saúde (atendimento de cerca de 98% de exames de imagem), mutirões de saúde e fim das filas para algumas especialidades, como oftalmologia por exemplo. “É importante uma administração que olhe para o futuro com ações empreendedoras e não se esqueça de olhar para trás para corrigir erros. Thomé e eu estamos comprometidos em concluir um governo exitoso com obras e ações que beneficiem toda a comunidade”, destacou.

O prefeito José Thomé saudou a presença do deputado Milton Hobus. “É preciso reconhecer que a gestão de uma Prefeitura não se faz sem apoio político. Friso aqui a importância do relacionamento mantido com o nosso deputado estadual. Agradeço a presença e suas ações para o benefício da população de Rio do Sul”.

O deputado Milton Hobus, que também esteve presente na solenidade, destacou que a atual gestão é formada por um time técnico focado em ações. “O governador Raimundo Colombo deve vir em breve a Rio do Sul para diversas ações. Dentre elas a assinatura de convênio com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), autorização para funcionamento do centro de oncologia do Hospital Regional, repasse de verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para a Educação e assinatura de ordem de serviço para instalação do Trem Tour (com uso da ferrovia, de 15km, para finalidade turística, que ligará Apiúna até Riachuelo e irá fomentar turismo regional)”.

Segundo Thomé, “são gestos dessa natureza que fazem uma boa administração pública. E precisamos reconhecer essas atitudes, principalmente no momento crítico da economia nacional. Mostramos, assim, o quanto empenhados estamos na evolução das ações do nosso município”. Hobus complementa, ainda, que em breve haverá a liberação de verbas do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam).

Com o afastamento, o prefeito irá obter descanso de quatro dias para tratar de assuntos particulares. Os demais dias assegura que serão usados para acompanhar, eventualmente, as agendas assumidas pelo prefeito interino Paulo Cunha. “Rio do Sul estará em boas mãos, até porque a figura do Paulo é de alguém popular e que mantém uma relação de sintonia com diversas instituições da cidade como OAB e Hospital Regional pela formação profissional que tem. O Paulo comunga da transformação política que fizemos até agora”. Cunha adianta que, durante as duas semanas que assumirá o poder executivo, trabalhará de forma intensa e vai buscar soluções dos pedidos da população.

Rafael Beling