Política

A BR-470 entrou na pauta de reivindicações de vereadores do Alto Vale do Itajaí durante a XV Marcha dos Vereadores, que foi realizada nesta semana em Brasília. O deputado federal, Rogério Peninha Mendonça (PMDB), que é o único representante do Alto Vale no Congresso Nacional, encabeçou uma audiência com o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Valter Casemiro Silveira.

O parlamentar acompanhou vereadores de Ituporanga, Pouso Redondo e Laurentino, além da prefeita de Trombudo Central, Geovana Gessner, que também participou da reunião. De acordo com o deputado federal, é preciso e também possível que se executem serviços em paralelo ao alargamento da via para dar mais mobilidade ao trânsito e consequentemente diminuir o número de mortes na rodovia. “Do ano 2000 até agora, 2 mil pessoas já morreram na BR-470. É como se a população inteira de uma pequena cidade catarinense tivesse sido extinta em menos de 17 anos. E o governo federal tem responsabilidade direta sobre estes óbitos”, observou Peninha.

De acordo com dados das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL), em 2016, 1.722 acidentes foram registrados na BR-470, além da perda de vidas, os sinistros causaram um prejuízo estimado em mais de R$ 125 milhões.

A falta de investimento em infraestrutura tem complicado Santa Catarina no quesito competitividade, cenário que afasta o interesse de empresas em se instalar pelo estado. O custo de logística no território catarinense gira em média 14%, enquanto em outros estados não ultrapassa 11%. “Nos últimos anos, Santa Catarina foi um dos estados que mais cresceu e contribuiu na arrecadação de impostos, mas a União virou as costas para o nosso estado”, criticou o deputado.

O presidente da União de Câmaras e Vereadores do Alto Vale do Itajaí (Ucavi), Elcio Bonacolsi, também participou da audiência e lembrou que a BR-470 é a principal ligação entre o interior do estado com os portos catarinenses. “No entorno da BR, estão localizadas mais de 20 mil empresas, que empregam cerca de 230 mil trabalhadores. Construção de terceiras faixas, trevos e passarelas são medidas paliativas que ajudarão a destravar os congestionamentos constantes e diminuir o número de acidentes”, destacou Bonacolsi.

O diretor-geral do Dnit, justificou a situação ao lamentar o orçamento, mas assegurou aos representantes do Alto Vale, que medidas urgentes serão tomadas para amenizar os principais problemas da rodovia. De acordo com Valter Casimiro, o Palácio do Planalto já encaminhou ordens para que em Santa Catarina a BR-470 seja tratada como obra prioritária.

Albanir Júnior

Últimas notícias:

Tentativa de homicídio entre irmãos em Rio do Sul

Acidentes na SC 340 são registrados neste sábado.

Cantor Belchior morre aos 70 anos no Rio Grande do Sul

Correios terá que manter 80% do efetivo