Alto Vale, Política
Foto: Helena Marquardt

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O chefe de gabinete do deputado federal Peninha, Rafael Pezenti, revelou em entrevista ao DAV que poderá disputar uma vaga na Câmara dos Deputados em 2022 e que o político, que é uma das principais lideranças emedebistas no estado e no país, não descarta se candidatar a senador ou até mesmo tentar uma vaga ao Governo do Estado.

“De fato o deputado Peninha tem me estimulado a disputar a vaga que hoje é dele na Câmara dos Deputados e em virtude disso eu tenho percorrido bastante a região visitando as nossas lideranças para ver o que as pessoas acham disso. Na última eleição, especialmente os vereadores se renovaram muito. As pessoas estão apostando em caras novas, gente que nunca disputou uma eleição acabou sendo o mais votado, então minha candidatura é uma possibilidade real”, comenta.

Pezenti afirma que o partido deve fazer uma prévia em 2021 com todos os que pretendem ocupar essa vaga, mas ressalta que não serão Peninha ou o Jerry que vão definir um sucessor. “Vamos passar por um processo de escolha, mas quem tem que definir é quem vai de casa em casa pedir voto, são as lideranças”, argumentou.

O chefe-de gabinete revelou ainda que o que está definido até o momento é que Peninha não disputará a eleição como deputado federal, e faz outros planos políticos para 2022 “Está certo que o Peninha não será mais candidato a deputado federal e isso é garantido. Ele vai buscar um espaço na majoritária, quem sabe a governador, vice-governador ou a senador. Tudo vai depender de como o MDB vai se comportar daqui para a frente e como os pré-candidatos vão se comportar, que são o senador Dário Berger e o prefeito de Jaraguá do Sul Antídio Lunelli, os dois nomes já estão postos na mesa ”, disse.

Outra possibilidade que não estaria descartada é de que Peninha poderia assumir um ministério a convite de Bolsonaro, já que tradicionalmente como acontece a cada eleição, muitos políticos deixam os cargos para a disputa eleitoral. A indicação seria, segundo Pezenti, uma forma de agradecer ao emedebista pelo apoio a Bolsonaro quando ele era apenas um deputado. “O Peninha trouxe o Bolsonaro cinco vezes a Santa Catarina, antes da campanha eleitoral. Quando ninguém acreditava no Bolsonaro Peninha já estava ao lado dele”, comenta.

Eleições confirmam força do MDB

Na entrevista ele ainda avaliou a participação dos 14 prefeitos, 12 vice-prefeitos e 107 vereadores. “Chegar ao topo é difícil, se manter no topo é ainda mais difícil. Elegemos em 2016 128 emedebistas, entre todos esses cargos e agora esse número aumentou para 133 então o partido continua sendo o maior do Alto Vale e isso é o resultado de muito trabalho”, afirmou.