Cidade

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A amamentação é de extrema importância para o desenvolvimento de um bebê, mas por diversos fatores, algumas mães não conseguem executar essa tarefa e foi pensando nisso que as vereadoras Sueli de Oliveira e Danielle Zanella criaram um Projeto de Lei que institui o Banco de Leite, em Rio do Sul. O PL foi aprovado no início da semana e aguarda sansão do prefeito.

Sueli explica que há alguns anos existia um banco de leite em Ituporanga, município vizinho de Rio do Sul, mas que foi fechado e depois disso o mais próximo fica localizado em Blumenau, criando uma dificuldade, tanto para quem deseja doar quanto para os bebês que precisam.

“Em toda a região da Amavi, nos 28 municípios, nós não temos nenhum local que disponibilize espaço para doação de leite materno. O lugar mais próximo seria Blumenau e quando existe a necessidade precisam buscar lá. Hoje somos 28 municípios e conversando com o Executivo colocamos a necessidade de ter esse banco de leite humano, que pode salvar a vida de muitos bebês”, conta.A vereadora ainda fala sobre a importância do banco de leite a nível regional e explica que seria uma oportunidade de incentivar a doação.

“É um projeto voltado para a Saúde da nossa cidade, para que as pessoas fiquem mais tranquilas. Além disso, vamos atender não só Rio do Sul, mas os 28 municípios da região porque existem muitas mulheres que querem doar o leite e não têm como. Então, com esse projeto será possível, vamos salvar vidas e ajudar mães que precisam deixar os filhos em uma UTI e que não têm como amamentar o bebê ou não têm leite para fazer a amamentação. Um Projeto que fará a diferença na nossa cidade”, completa.

De acordo com o PL, a doação de leite é fundamental para os bebês prematuros e que nascem com baixo peso e não podem ser amamentados pela própria mãe. De acordo com o Ministério da Saúde, um litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. Dependendo do peso do prematuro, 1 ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez em que ele for alimentado.

Além disso, incentivar o aleitamento materno é importante para o pleno desenvolvimento físico, psíquico e intelectual das crianças, uma vez que os nutrientes do leite materno evitam o desenvolvimento de problemas de saúde, e contribuem para a redução da mortalidade infantil. Para a mãe, a amamentação ainda traz benefícios como a involução uterina após o parto, e em longo prazo pode proteger contra o câncer de mama e ovário.