Saúde
Foto: Tomás Arthuzzi/ Saúde é Vital

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Que a cura para diversas doenças pode estar na natureza todos sabem, mas a cada dia uma nova planta com diversos benefícios é descoberta. A Ora-pro-nóbis, do latin, “Rogai por nós”, faz parte de um grupo de Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC), a sua folha é rica em nutrientes, e por esse motivo caiu no gosto de muitas pessoas. No Alto Vale, surgem cada vez mais adeptos.

Seja como salada crua, refogada ou como farinha, o importante é consumir. A nutricionista Maria Gabriela Peters Grip ressalta que há diversas formas de preparo e que o que antes era encontrado somente como cerca viva, têm se tornado cada vez mais comum no prato dos brasileiros. “Ela é mais popular cobrindo cercas e muros do que no prato, mas é altamente comestível, rica em nutrientes, rica em proteína e é comparada com as propriedades nutricionais da carne, ajuda a evitar o envelhecimento precoce da pele, das células, e está aliada ao funcionamento do intestino”, comenta.

A ora-pro-nóbis pode ser consumida in natura ou como matéria prima, um exemplo é a farinha, e pode ser usada também no preparo de bolos, tortas, pães ou como salada. Além das folhas, há ainda os frutos e as flores que também são muito utilizados. “As flores podem ser usadas como decoração e os frutos dão sabor a geleias e licores.  Então a gente pode usar todas as partes dela, tanto as folhas, quanto os frutos e as flores. Só é preciso ter cuidado na hora de colher porque ela possui muitos espinhos”, afirma.

Maria Gabriela explica que a planta pode trazer muitos benefícios ao organismo de quem a consome e que pequenas porções possuem grandes concentrações de proteína, vitaminas e minerais. “Ela ajuda muito na saúde intestinal, porque têm bastantes fibras, para se ter uma ideia, cada 100 gramas da folha contem em torno de 4,88 gramas de fibra, já a versão em farinha utilizada no preparo de bolos, contém de 39 gramas de fibras em uma porção de 100 gramas, então é bem funcional. Tem também um potencial anti-inflamatório e antioxidante, contribui também para a regeneração do DNA e prevenção do câncer. É aliada da saúde do bebê, tem alto teor de vitamina B9 que é o ácido fólico e que ajuda gestantes a evitar problemas na formação do bebê. A concentração dessa vitamina chega a 19.3 mg de ácido fólico a cada 100 gramas e é claro que fortalece o sistema imunológico porque tem vitamina C na composição”, esclarece.

Segundo a nutricionista, a planta pode ser uma boa alternativa para os vegetarianos, já que tem a mesma proteína encontrada na carne e que é fundamental para o funcionamento do sistema imunológico, hepático, dos ossos e cérebro. “Além de ser boa aliada dos vegetarianos, ela pode auxiliar também em dietas. “A cada 100 gramas, 20 são de proteína, o que corresponde a uma dose de Whey Protein ou a três ovos”, revela.

Aos que precisam de um reforço cardiovascular, ora-pro-nóbis e uma ótima opção, por ser rica em cálcio e magnésio, que segundo Maria Gabriela são minerais essenciais para a saúde do coração.

Neuza Diel, de Ituporanga conta que foi diagnosticada com câncer de mama no ano passado e que preocupada com a doença passou a consumir chás e algumas folhas que as pessoas da comunidade indicaram, na promessa de verdadeiros milagres. “Eu tive câncer de mama e quando descobri comecei a ir atrás de tudo o que diziam que eram bom para quem sabe curar. A ora-pro-nóbis foi indicada por um conhecido que já consumia, na época, eu comecei a comer como salada em todas as refeições. Eu consumia bastante mesmo, inclusive durante a quimioterapia e em todos os meus exames, a imunidade estava alta, o médico dizia que nem parecia estar fazendo o tratamento. Então eu acredito que ela realmente tenha ajudado, não na cura, mas no fortalecimento do meu organismo para resistir à quimioterapia”, conta. Ela diz ainda que incentivou outras pessoas a comerem e que embora tenha concluído o tratamento, as folhas continuarão compondo o cardápio.

Como consumir

A planta pode ser consumida como salada crua, refogada, farinhas, tortas e pães. Ela destaca que o ideal é ferver por um minuto e meio e descartar, dessa forma, os fatores antinutricionais, a fim de aproveitar melhor os nutrientes.

Maria Gabriela conta que o sabor lembra a couve-manteiga e que a textura ao morder, é viscosa. Ela ressalta que a orientação profissional é fundamental para que o consumos seja feito da maneira correta e na quantidade ideal.

Questionada sobre o cultivo da planta, ela diz que para plantar é fácil já que é muito resistente a variação climática. “A propagação é fácil, tranquilo para ter em casa, basta ter o espaço e luz solar. A Panc surgiu em forma de trepadeira, com espinhos e além da utilidade na alimentação pode ser usada como planta ornamental. As flores brancas pequenas são donas de um perfume muito agradável”, finaliza.