Cidade
Foto: Divulgação
Reportagem: Rafaela Correa/DAV
Abandonar animais, além de ser um ato de crueldade, pode ser considerado crime. Em Rio do Sul, a Polícia Militar recebeu um chamado nesta terça-feira, (8), relatando o abandono de uma cadela com filhotes na Itoupava, em Rio do Sul. Chegando ao local, as policias presenciaram um fato inusitado, é que a cadela se aproximou de uma lixeira, pegou um prato plástico sujo e levou até elas como se estivesse pedindo por comida.

O fato ganhou espaço nas redes sociais. Uma das policiais da Rede Catarina de Proteção à Mulher, que participou da ocorrência, a aluna cabo Jeruza Fronza, conta que ver a situação dos animais a comoveu, uma vez que a cadela praticamente implorava por ajuda.

“Quando ela nos viu pegou um pratinho branco de plástico, que estava bem sujo perto da lixeira e levou até a gente, foi como se estivesse pedindo comida. Eu sempre carrego na viatura um pacote de ração, porque se eu vejo uma situação dessas sempre dou ração e tinha água também. Aí coloquei a ração no prato, eles comeram tudo, a cadela estava muito magra e recém havia dado cria. O fato de ela ter vindo pedir comida mostra que ela é muito espertinha”, relata.

Jeruza conta que quando chegaram ao local ela e os filhotes estavam no mato, mas em um local próximo à estrada. Ela conta que a cachorra tinha um porte bastante grande e que ficou admirada com a situação.

“Quando chegamos lá eles estavam no meio do mato, perto da estrada, mas mais para dentro tinha uma casinha de madeira e uma lixeira. A cadela linda, a gente se admira, porque o abandono é algo que a gente nunca entende, ainda mais de uma cachorra daquele porte”.

Após dar comida e água para o animal, Jeruza e Mariele Jonck Vignola fizeram contato com a Associação Protetora dos Animais Desamparados (Apad), que imediatamente conseguiu uma clínica para ajudar. “Eles arrumaram uma clínica no Bela Aliança e disseram que eu podia levar os bichinhos para lá. Colocamos os 4 na viatura e levamos para a clínica”, comenta.

Jeruza ainda enfatiza que a ocorrência foi comovente e que a cadela sentiu segurança na presença da PM.

“A cadelinha sentiu que seria ajudada, pois não hesitou em entrar na viatura e é um cachorro de porte grande, a princípio a gente olha e não sabe se é bravo ou não, mas ficou bem confortável na viatura e nem queria sair. Ela sentiu que estava segura. Uma cachorrinha muito educada, quando tiramos da viatura e ela viu que a gente ia deixar na clínica ela quis entrar de novo porque queria vir com a gente”, completa.

Após completa recuperação, os animais devem ser encaminhados para adoção.