Alto Vale

Novamente o clima esquentou entre o Poder Público de Taió e profissionais da área da Saúde do Município. Neste caso, mais especificamente, foi o médico Eduardo Rubim Schwab Leite que foi questionado por seus atos na tribuna da Câmara Municipal no último dia 17 por dois vereadores. Joel Sandro Macoppi (PP) e Klaus Dieter Diel (PMDB) responderam as palavras de Leite em uma rádio local, onde segundo Joel, o médico estaria ameaçando seu mandato e do colega de legislatura. Ainda, foi protocolado um pedido de informação sobre as atividades do médico na unidade de saúde onde atua.

“Ir à rádio falar que nos próximos dias irá entrar com pedido de cassação de dois vereadores, eu e o Klaus, um profissional médico. Eu acho que é muito mais fácil eu pedir uma cassação de seu CRM [habilitação do Conselho Regional de Medicina] do que ele pedir a cassação do meu mandato”, respondeu Macoppi.

O vereador ainda disse que “sempre que ele fala alguma coisa eu sei que está direcionando pra mim, mas ele esconde o nome, não sei se é medo de falar ou o que que é”, e pediu que providências sejam tomadas após a atitude de Leite, dizendo também que “não teme nem um pouco este caso, e que o Município comece a tomar uma direção diferente de punição a este profissional”, falou Macoppi em seu pronunciamento.

O legislador justifica o pedido dizendo que desde o início do ano o médico realiza ataques através de redes sociais, usando palavrões e conteúdo de baixo escalão. As acusações contra ele ainda seguem ao âmbito profissional, pois, segundo o pepista, Leite tem exagerado nas reclamações de dores para não cumprir seu trabalho conforme o contrato. “Vejo que ali ele realmente se passou, dizendo que está praticamente aleijado, dizendo que não pode trabalhar”, disparou Macoppi.

Já o vereador do PMDB, em suas palavras, não conteve sua indignação frente à situação. “Eu quero dizer que se fiscalizar, que é nossa atribuição, for punida e for ameaçada, através de meios de comunicação, que me tirem daqui logo”, falou Diel no início do discurso, pedindo ainda mais comprometimento do profissional de saúde em seu trabalho por Taió.

O vereador também relatou como iniciou a confusão, explicando que somente falou na sessão anterior que “o prefeito procurava meios legais para substituir um médico de atestado [Eduardo Leite] no Passo Manso, eu ouvi que eu não questionei o problema que o mesmo possui. Eu ouvi o que eu falei pra ver o que estava falando de tão grave. Disse que o transtorno que a falta dele no ‘postinho’ faz é muito grande”, justificou.

Porém, na mesma oportunidade, o vereador Diel questionou o fato tanto do médico quanto sua esposa estarem de atestado no mesmo período causava estranheza. “Algo que precisava ser visto”, questionou ele. O legislador, após ler a resposta que o médico havia dado via redes sociais perguntou ao profissional: “Cadê a sua ética?[…] quer ficar tirando atestado, porque ele acha normal, pra mim, ele se acha o dono da verdade”, disse.

 

Dr. Leite

A explicação do Dr. Eduardo Leite no Facebook para os constantes atestados foi publicada no dia 11 de julho, e detalha o agravamento de sua doença, ocasionada, conforme ele relata, por uma queda em serviço.

“Em 2012, sofri uma queda dentro da unidade de saúde, na época, tive apenas uns dias de dor, ignorei o fato e segui trabalhando como sempre, mas a dor não sedia, então tive que ir a consulta medica e exame em Florianópolis (De carona com o carro da saúde), feito uma ressonância e confirmado um inicio de hernia de disco nas vértebras lombares. Na época foi protocolado um pedido de transferência para uma unidade de saúde mais próxima pois a que eu estava designado me obrigava a trafegar por estrada de chão, o que pioraria meu quadro clinico, este pedido foi negado pelo prefeito da época pois “ eu era imprescindível naquela localidade”.

Em 2014, nova crise, nova ressonância com o resultado de piora do meu quadro clinico, novamente solicitado transferência e novamente negada pelo secretario de saúde pois não havia onde me locar.

Agora em 2017, novamente piora do quadro clinico, com episódios de dor e limitação dos meus movimentos. Com um diferencial que agora estou com lesões definitivas.

Me pergunto e aos críticos de plantão, de quem é a culpa? Como veem, é fácil criticar, difícil é apurar os fatos,
Aos que quiserem comprovar, tenho as copias de todos exames feitos e inclusive os pedidos de transferência”.

Airton Ramos