Cidade

Reportagem: Gabriela Szenczuk/DAV

Nas últimas semanas a frequência de boletins de ocorrência relacionados a um golpe tem chamado a atenção da Polícia Civil de Rio do Sul. Trata-se do “Golpe do Motoboy”, onde criminosos estariam se passando por agentes de instituições financeiras e conseguindo dados pessoais e senhas das vítimas, efetuando saques ou compras online.
As ocorrências em Rio do Sul acontecem desde o mês de abril mas, segundo a delegada da cidade, Andreia dos Santos Dornelles, este já é um golpe mais antigo com várias ocorrências em todo o Brasil. Ainda segundo ela, a Polícia tem como um dos serviços de rotina verificar novos crimes em relação ao estelionato e esse tem tido um número relevante de registros frequentes com uma média de seis boletins de ocorrência feitos por semana em Rio do Sul.

O golpe

Ela alerta que nesse golpe uma pessoa liga para a vítima e se identifica como sendo funcionário de um banco ou da operadora de cartão de crédito. Ao contatar a vítima, o golpista pergunta se ela teria feito uma compra recentemente, sempre em valores altos, de R$ 4.000,00 a R$ 5.000,00. Na maioria dos casos a vítima se assusta, nega ter feito a compra e, com isso, o suposto agente bancário ou agente do cartão de crédito informa que o seu cartão foi clonado. Em seguida, pede, além dos dados do cartão e senha, para que a pessoa corte o cartão ao meio. O golpista informa que um motoboy estará indo até a residência da pessoa para buscar o cartão e assim poderem seguir com os procedimentos para fazer um novo. O motoboy chega na residência, a pessoa entrega o cartão e assim o golpe é aplicado, praticando desde compras online até saques em altos valores. “Nesta época de pandemia os golpistas têm se aproveitado da situação do isolamento e utilizam o serviço de motoboy como algo inovador, que facilita para o cliente e faz com que ele não precise sair de casa”, comenta a delegada. Ela conta que a maior porcentagem das vítimas do golpe é de idosos.

Orientação

A orientação é que a população não passe quaisquer informações por telefone. Além disso, assim que receberem qualquer solicitação suspeita, entre em contato diretamente com o gerente do seu banco ou contate a instituição financeira do cartão para confirmar o que está sendo informado. “Nenhuma instituição financeira faz esse serviço de motoboy. Não passe nenhuma informação por telefone. Contate diretamente a operadora de cartão ou agência para confirmar aquele fato”, conclui Andreia.