Cidade
Foto: Rafaela Correa

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A tarde desta quarta-feira (23) foi marcada pela entrega de sete novas viaturas para a 7ª Delegacia Regional de Polícia, em Rio do Sul. Os veículos correspondem à renovação de 10% da frota e foram adquiridos através de emendas parlamentares do deputado estadual Jerry Comper. Os municípios contemplados, além da Capital do Alto Vale, são Agronômica, Pouso Redondo, Witmarsum, José Boiteux e Rio do Campo.

De acordo com o delegado da 7ª Delegacia Regional de Polícia, Leonardo Marcondes Machado, a renovação da frota é indispensável para que a Polícia Civil continue prestando um bom trabalho. “Nós temos aqui com essa emenda parlamentar do deputado estadual Jerry Comper, sete novas viaturas para unidades específicas e ainda tivemos uma outra viatura destinada por emenda parlamentar do deputado Maurício Eskudlark. Com isso, além das viaturas que foram para unidades estabelecidas pelos próprios parlamentares, nós conseguimos fazer uma reorganização daquelas viaturas mais antigas e que estavam em bom estado de conservação para as unidades que não foram contempladas neste momento”, comenta.

Ele ainda conta que os veículos SUV são equipados de forma moderna para atender as necessidades dos policiais. “Importante frisar que neste ato temos a renovação de 10% da frota de viaturas da 7ª Delegacia Regional de Polícia. Isso não é algo simples, é muito importante, uma vez que as viaturas anteriores datavam de 2012, 2013. Todos os veículos são SUV equipados, com equipamentos de proteção, suporte para armamento, local destinado ao transporte de presos. São veículos da melhor qualidade para esse trabalho policial na região do Alto Vale”, completa.

O deputado Jerry Comper explica que a destinação dos carros para a Polícia Civil se concretizou a partir de pedidos antigos de autoridades de Rio do Sul, mas que foi percebida a necessidade de outras viaturas para complementar a segurança da região.

“Temos que fazer justiça ao delegado dr. Costa, junto com a dra. Karla, junto com o Nando, Cariso e a Zeli que fizeram a solicitação de duas viaturas aqui para Rio do Sul. Nós entendemos que a região precisava de mais, por isso colocamos emenda em Rio do Campo, Pouso Redondo, José Boiteux, Agronômica e Witmarsum. Uma data importante, uma quarta-feira histórica, podendo trazer qualidade de trabalho para os nossos policiais civis, segurança para a população do Alto Vale e ao cidadão catarinense. Estou muito feliz e quero agradecer o governador Carlos Moisés que está preocupado com os 295 municípios de Santa Catarina, e não é diferente no Alto Vale”, esclarece.

Questionado sobre a grande demanda existente na região, Jerry afirma que o trabalho em prol da segurança continua e que há expectativa de mais recursos para a região do Alto Vale. “Estava conversando com o delegado geral Marcos Ghizoni, sobre estarmos buscando mais viaturas, qualidade de trabalho para os policiais, bem como mais efetivo e faremos o possível para que a região do Alto Vale seja atendida. Vamos fazer de tudo para trazer, não só saúde, educação e infraestrutura, mas segurança também”, destaca.

O delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Marcos Ghizoni, avalia a data de forma positiva e conta que estão sendo entregues viaturas em outras regiões também, totalizando mais de 40 veículos novos para a renovação da frota da Polícia Civil de todo o estado de Santa Catarina.

“No dia de hoje estamos em festa, entregando ao estado inteiro 43 viaturas oriundas de emendas parlamentares impositivas. Aliado a isso temos a perspectiva de nos próximos meses adquirir mais 600 viaturas através do Programa SC Mais Segura. A demanda da Polícia Civil é grande e quanto mais viaturas, melhor será o serviço, mas isso não impede que a gente já preste um serviço de excelência, tanto é que a gente é hoje, o estado com maior segurança do Brasil”, pontua.

Estado mais seguro do Brasil

Dados apontam que Santa Catarina é um dos estados com maior segurança para se viver e alguns crimes até tiveram uma redução nos números, com exceção do estelionato. Questionado sobre ações preventivas, ele afirma que nos últimos anos houve uma mudança significativa na forma de praticar crimes e que isso também teve a ver com a pandemia.

“A população se modificou muito com a pandemia. O que era uma realidade antes virou outra. O que estamos notando hoje é uma migração para os crimes eletrônicos, a nossa proposta é levar informação. Quando se tratar de conversas no whatsapp, e-mails, qualquer transação relacionada ao meio virtual, que as pessoas desconfiem ao máximo porque as pessoas estão sendo enganadas em virtude da boa fé. Não se podia ir para a rua por conta da pandemia e os delinquentes acabaram diversificando, ficando em casa e tempo ocioso é tempo para pensar em maldade”, finaliza.