Cidade
Foto: Divulgação

Helena Marquardt/DAV

A Polícia Civil de Rio do Sul concluiu o inquérito sobre o caso do cão que foi arrastado por um caminhão no dia 19 de fevereiro no bairro Albertina e entendeu que a morte foi acidental já que o dono teria alegado que esqueceu que havia amarrado o cachorro em seu caminhão e acabou saindo com o veículo.

No dia do acidente imagens de câmeras de segurança de uma residência do bairro flagraram o momento exato em que um cachorro amarrado por uma corda é arrastado durante vários metros. O caso ganhou repercussão nas redes sociais e um Boletim de Ocorrência foi registrado pela Associação Protetora dos Animais Desamparados (Apad), desde então era investigado pela Polícia Civil.

O delegado responsável pela Divisão de Crimes Ambientais, Juliano César Tumitan, afirma que três testemunhas foram ouvidas presencialmente e após os depoimentos o entendimento foi de que a morte do animal foi acidental. “O motorista era o dono do cachorro, havia comprado para a filha dele e até tinha muito apego. Ele contou que amarrou o cachorro no caminhão e acabou esquecendo então quando saiu o animal foi arrastado e acabou morrendo, mas não foi intencional”, disse.

Tumitan declarou ainda que o inquérito foi encaminhado para a análise do Ministério Público que pode ou não optar por oferecer denúncia contra o dono do animal.

Moradores viram cão sendo arrastado

Em entrevista ao DAV após a divulgação das imagens, uma moradora da localidade que preferiu não se identificar relatou que viu o cachorro sendo arrastado. “Eu vi quando o caminhão passou arrastando o cachorro e logo depois ele voltou, mas não tinha mais nada atrás. Eu até liguei para a Polícia, mas falaram que tinha que ser flagrante para fazer algo, mas não achamos mais o cachorro”, contou.

Já outro vizinho afirmou que foi alertado pelo filho de que um caminhão estava arrastando um cachorro preso por uma corda bem curta, mas acredita que naquele momento o animal já estava morto.

O presidente da Apad, Jailson Losi, comenta que as denúncias de situações como essas são importantes para que os casos sejam realmente apurados e que mesmo o inquérito concluindo que foi um acidente o caso do cachorro arrastado serve alerta. “As pessoas tem que ter consciência de que não se deve amarrar um animal num veículo porque podem esquecer e acontecer o que aconteceu. Apesar do inquérito apontar que não houve a intenção, o animal sofreu muito antes de morrer”, finaliza.