Política
Foto: Divulgação

Reportagem Rafaela Correa/DAV

Adair Antônio Stollmeier nasceu em Presidente Getúlio, mas mora há mais de 30 anos em José Boiteux. Foi ele o nome escolhido como pré-candidato a prefeito pelo Partido Progressista (PP). Essa não é a primeira vez que Pico, como é conhecido na cidade, está vinculado à política. Em 2004 ele já foi vice-prefeito e destaca que sempre se manteve fiel ao partido . Em entrevista ao DAV ele falou sobre sobre possíveis coligações com o Podemos, PSD e PL e revelou até que Claudenir Sensi deve ser o candidato a vice (Podemos).

Ele conta que cerca de 10 anos depois resolveu retomar sua trajetória no meio político para contribuir com a cidade. Segundo ele, a volta não estava planejada, mas a pedido do partido aceitou disputar as eleições . “Eu trabalho atualmente com facção, mas já fui vice-prefeito de José Boiteux em 2004, até havia desistido da política, mas aí a ocasião me fez voltar. A maioria dos partidos pediu para eu voltar”, revelou.

Se for eleito, Pico afirma que pretende colocar em prática alguns projetos, como a hidroginástica para a terceira idade e obras de pavimentação. “Eu tenho bastante projetos, mas uma das prioridades é fazer o acostamento aqui do centro até a igreja evangélica, a outra seria a pavimentação da Rua 13 de maio, uma parte aqui no começo e outra no final, quero trabalhar pela hidroginástica para a terceira idade e é claro precisamos cuidar da saúde, educação, tem muita coisa para melhorar, tenho um bom plano de governo”, avalia.

Ele diz que quer ser prefeito para assumir algumas demandas do município, como o asfaltamento até a barragem. “Eu encontrei com o deputado Nilson Francisco Stainsack (PP), que além de ser do mesmo partido é meu amigo e já conversamos sobre fazer o asfalto até na Barragem, através da Defesa Civil. Eu acho o cúmulo do cúmulo, José Boiteux não ter este asfalto, porque nós estamos na área de risco, as pessoas que moram lá embaixo não tem como fugir em casos de emergência, a estrada é de chão, está boa e tudo, mas não é asfalto. Se um dia acontecer alguma coisa nós somos os primeiros, quer dizer, nós defendemos praticamente todo o Médio Vale e não temos retorno nenhum. Se um dia acontecer alguma coisa sumirá tudo”, comenta.

Pico diz que a obra seria uma das prioridades e que não mediria esforços para conseguir. “Pode ter certeza que esta é uma das bandeiras que eu defendo e eu sei que é difícil, mas vou pedir ajuda para prefeito de Blumenau, Indaial, Itajaí e eles vão ter que se unir a nós nesta briga”, destaca. Ele conta ainda que a cidade precisa de melhorias na infraestrutura e mais empregos. “Precisamos melhorar a saúde, a nossa educação é boa, mas ainda precisamos conscientizar o nosso povo a comprar no comércio local. Nós somos uma cidade pequena, então o nosso dinheiro deveria ficar aqui. Outro ponto é a necessidade de gerar empregos no município, apoiar as empresas”, ressalta.

Questionado sobre o motivo pelo qual quer ser prefeito e o que o difere de outros candidatos, ele disse que a experiência com a direção da empresa da família deve ajudar. “Eu acho que tenho capacidade, sou formado em ciências contábeis, administração de empresas, tenho comércio bem gerido e me sinto preparado para isso”, finaliza.