Alto Vale
Luana Abreu/DAV

 

Luana Abreu

 

O município de Imbuia tenta retomar aos poucos a rotina após o assassinato do prefeito João Schwambach (MDB). Nesta segunda-feira (13) o novo prefeito, Amilton Machado (PP), o Bica, falou sobre os planos para seu governo afirmando que os trabalhos iniciados pelo emedebista terão continuidade.

 

Ele assumiu na quinta-feira (19) o Executivo municipal. A lei orgânica do município determina que, em caso de morte do prefeito, o vice deve assumir imediatamente, ou seja, em até 24 horas. A posse aconteceu na sexta-feira (10).

 

Com isto, Bica se tornou oficialmente o prefeito de Imbuia. Para ele, um grande desafio está pela frente.

“Não esperava passar por uma situação dessas, mas agora temos que dar continuidade a todo o trabalho que foi planejado pelo prefeito João. Dar sequência às obras, terminá-las. Fazer tudo aquilo que ele queria fazer, para que esse projeto se realize para felicidade geral de Imbuia”, disse.

 

Com relação às obras, iniciadas na gestão de Schwambach, Bica destacou a continuidade das obras do Cemitério Municipal, na comunidade de Samambaia, a conclusão da pavimentação da Rua Pedro Carlos Simas e o início da Rua João Raitz. Além disso, continuará com o trabalho de manutenção nas estradas do interior do município.

“Precisamos dar condições de boas estradas para os agricultores nesse momento de venda da safra. O início das aulas também está próximo e é necessário que os ônibus andem em segurança”, pontua.

 

Ele também confirmou a realização da Festa Estadual do Milho Verde (Femive).

“A festa já está com data marcada e a licitação feita. Vamos manter a realização desse evento e de todos os outros que estão programados para ocorrer ao longo do ano. Sabemos que essa é a vontade do prefeito João”, comenta.

 

Bica confirmou ainda que a equipe de secretários, diretores e outros cargos comissionados será mantida.

“Eles vinham fazendo um bom trabalho ao longo desses três anos. Não têm porquê mexer nisso”, explica.

 

Bica tem 63 anos e foi eleito vereador por três oportunidades: em 1996, 2000 e 2004. Também foi secretário de obras por 11 anos. Antes de entrar na política, foi taxista e colaborador de na madeireira. Logo depois fundou sua própria empresa que hoje é administrada pelos filhos.

 

O crime

João Schwambach foi morto com dois tiros no peito no estacionamento da prefeitura, quando saía do expediente, no fim da tarde de quarta-feira (8). O homem que disparou estava num carro estacionado ao lado do veículo do prefeito. Ele está internado em estado grave na UTI do Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul porque tteria tentado se matar com a mesma arma que supostamente foi usada para atirar na vítima.

 

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) pediu a prisão preventiva do homem na sexta-feira (10) e ela foi decretada pelo juiz Márcio Preis da 2ª Vara da Comarca de Ituporanga. Segundo o MPSC, a intenção era garantir a ordem pública, por causa da repercussão do crime, e a instrução processual. Isso porque, caso o suspeito se recupere, existe a necessidade de impedir que ele procure testemunhas do crime e atrapalhe a investigação.

 

O suspeito foi autuado por homicídio qualificado, sem chance de defesa para a vítima e motivo fútil. A Polícia Civil, que investiga o caso, disse que ainda não se sabe a motivação do homicídio. Uma perícia foi feita no local, no carro usado pelo suspeito e no que era utilizado pelo prefeito. Na casa dele foi apreendida ainda a arma do crime, que não tinha registro.

 

Segundo prefeito assassinado

 

Esta foi a segunda vez que o município perde um prefeito desta forma. Em fevereiro de 1980, Liberto Pedro Scheidt foi morto depois de cobrar uma dívida. Ele havia vendido uma fazenda e os supostos compradores o levaram a São Joaquim para realizar o pagamento em dinheiro. O então prefeito foi morto no caminho, em Urubici, e jogado em uma serra de Petrolândia. O corpo foi encontrado e os responsáveis foram presos, mas acabaram fugindo da prisão algum tempo depois.