Alto Vale
Foto: Reprodução/ Rádio Sintonia

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A Administração da cidade de Aurora divulgou nesta semana a abertura de uma sindicância para investigar o caso de um servidor que teria sido flagrado enquanto dormia dentro do carro durante o expediente. O inseminador que também é vereador no município foi procurado pela reportagem e negou todas as acusações.

De acordo com o prefeito, Alexsandro Kohl, mais conhecido como Xandão, o caso teria ocorrido na manhã da última sexta-feira (29). Ele teria sido flagrado por outros servidores que estavam voltando de um trabalho.

“Nossos motoristas estavam voltando das obras porque choveu e no lugar da caçamba estava estacionado o carro da Agricultura, na garagem. O motorista buzinou e nada, então desceu para ver se a chave estava dentro para poder tirar o carro, chegando lá viu o inseminador, vereador, deitado, dormindo dentro do carro na vaga da caçamba. Ele tirou algumas fotos e mandou ao chefe de gabinete relatando o ocorrido”, conta.

Ao saber da situação, o chefe de gabinete teria ido até a garagem, sendo que este permanecia dormindo. “Então eles acordaram ele, ele tirou o carro e não falou nada. É um absurdo, em horário de serviço. Fiquei sabendo da situação naquele dia, um pouco mais tarde, e nesta segunda criamos uma comissão para investigar o caso”, revela.

O prefeito ainda comenta que considera o caso lamentável e afirma que o mesmo servidor estaria tendo comportamentos inadequados em suas funções. “É lamentável, um funcionário que desliga o celular no horário de serviço para não atender a população. Ele cobra, mas não faz o trabalho dele. É claro que as pessoas precisam ligar no fixo do município para agendar junto ao secretário, mas infelizmente ele passou o contato dele para muita gente e por ser servidor há vários anos no setor, acabam procurando diretamente por ele”, comenta.

O servidor, Jairo Stupp, foi procurado pela reportagem para apresentar a sua versão dos fatos e negou as acusações. Ele afirma que teria voltado dos trabalhos e estacionado na garagem, onde teria permanecido por cerca de 30 minutos, ouvindo rádio, com o banco deitado, porém acordado.
“Sou efetivo como técnico agrícola, mas sou inseminador e faço poucos atendimentos. Retornei dos atendimentos naquela manhã, próximo do meio-dia, liguei o rádio dentro do carro e fiquei escutando, deitei o banco do carro, abaixei o boné e fiquei ali, tanto que eu vi quem tirou as fotos. Uma caçamba estacionou atrás e eu nem tinha como sair, a caçamba encostou no carro de leve e chacoalhou, depois veio outra, estava no final do expediente”, esclarece.

Ele ainda afirma sofrer perseguição política e diz que fez algumas cobranças da Administração. “Tudo isso porque eu sou vereador da oposição e questionei alguns assuntos da prefeitura junto ao prefeito, à Administração e tenho processos no Ministério Público por atos de improbidade administrativa, perseguição política. Inclusive o funcionário que era meu motorista, o MP exigiu o afastamento das atividades porque era contratado, por improbidade administrativa e algumas coisas que nem quero citar no processo, o secretário foi citado também. Eles estão arrumando algo para me atingir politicamente, devido às minhas cobranças como vereador”, alega.

Sobre as acusações de que estaria com o celular desligado ele ainda contesta e diz que pode provar o contrário. “Isso é mentira, meu celular nunca esteve desligado e posso provar. Por questões éticas o celular é meu, eu pago a conta, a prefeitura nunca me deu um celular para exercer os serviços públicos. Além disso, o meu trabalho precisa passar pela Secretaria de Agricultura para eles anotarem e saberem onde estou e o que estou fazendo. Estou ciente do meu trabalho na prefeitura e nunca deixei de fazer um atendimento, inclusive uso bastante meu celular para agilizar os serviços. Mas não procedem essas informações”, completa o servidor.