Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O prefeito de Rio do Sul, José Thomé, recebeu nesta quarta-feira (2), às 14h, no gabinete, representantes do Hospital Regional Alto Vale e da Renal Vida, para assinatura do termo de doação do terreno e prédio onde hoje está localizada a Policlínica, na rua Tuiutí, no Centro.

Segundo Administração, as entidades vão receber os equipamentos para ampliação de serviços futuros. Apesar da necessidade de mais espaço para a Renal Vida e o Hospital Regional, a ocupação do prédio e terreno só poderá ser realizada depois da saída completa da estrutura da Secretaria de Saúde, que ainda não tem prazo para ocorrer. A prefeitura informou ainda que o projeto de construção de uma nova Policlínica, no bairro Canoas, está em andamento.

Em dezembro do ano passado, uma parte da documentação já foi assinada, mas segundo informação repassada pela Assessoria de Comunicação, na época, faltavam detalhes técnicos que foram resolvidos agora. Em entrevista ao Jornal Diário do Alto Vale, no dia 08 de dezembro de 2021, o médico e um dos fundadores da Associação, Leontino Ribeiro Neto, explicou que a assinatura parte do início da realização de um sonho, visto que a instituição luta por mais espaço há muitos anos.

“A gente teve uma luta de vários anos, tentando ganhar um espaço aqui para poder ampliar, construir um Centro de Diálise. Agora nós estamos definitivamente com a doação realizada e poderemos fazer um planejamento, um projeto, para começar a captar recursos e finalmente iniciar a construção. Estamos na primeira fase da doação. Sem a doação e sem saber a metragem não dava para fazer nada”.

Ele disse ainda que o processo é demorado visto que é necessária a aprovação do projeto por parte do Estado para a obra ser autorizada. “Tudo isso vamos discutir e depois da aprovação da planta começaremos a captar recursos porque o valor deve ser alto, até por conta das exigências da Vigilância Sanitária para um Hospital ou Centro de Diálise. Vai ser um gasto grande, mas acreditamos que com uma boa campanha em todo o Alto Vale, doações, emendas parlamentares, a gente consiga arrecadar”, avalia.

Questionado sobre as expectativas para a ampliação, Leontino disse em entrevista, que embora ainda tenha um bom período pela frente, a ideia é conseguir deixar tudo pronto em três anos.

“Toda construção de saúde é demorada, complexa, então é um processo moroso e esperamos que a gente consiga concluir tudo em uns três anos. Claro que tudo depende de aprovação, recursos, mas se tudo ocorrer bem, acredito que em três anos esteja pronto”, revela.

Na mesma data, o presidente da Fusavi, Osmar Peters, afirmou que a doação do imóvel conhecido como “Verdão”, somaria com o projeto de construção da nova torre do Hospital Regional, com área aproximada de 28 mil metros quadrados, dividida em 14 pavimentos. “Teremos que deslocar alguns serviços porque o espaço atual não atende mais as necessidades”, finalizou Peters.