Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Após a reunião entre autoridades e a cúpula da Segurança Pública para discutir o problema que a interdição parcial do Instituto Médico Legal de Rio do Sul vem causando, a Prefeitura de Rio do Sul anunciou que vai doar um terreno para que um novo prédio seja construído. Com o acerto a sala de necropsia interditada também passará por algumas adequações e deve ser reaberta nos próximos dias.

De acordo com o prefeito José Thomé, o Município será parceiro do Estado para conseguir uma solução para um problema que afeta toda a comunidade do Alto Vale. “Fizemos esse gesto da doação para acabar com essa novela. O Estado tem sido parceiro de Rio do Sul, inclusive nos cedeu o imóvel da ADR e nos cabe ser recíprocos diante de um serviço tão necessário”, comenta.

No encontro ficou definido que o Instituto Geral de Perícia (IGP) fará algumas adequações na sede atual em caráter emergencial. “Foi uma solicitação dos nossos técnicos da Vigilância Sanitária que participaram dessa reunião marcada pelo diálogo e chegamos a um entendimento para que a gente consiga retomar o serviço local. Todo o povo do Alto Vale sofre muito com essa questão de se dirigir a Lages, Blumenau, muitas vezes num momento difícil. É muito ruim para o cidadão que já está na situação de dor, da perda de um ente querido e que tem que aguardar por horas e horas a liberação do corpo que sai daqui para ser periciado em outra cidade”, comentou.

Entre as adequações que o IGP se comprometeu a fazer até a sexta-feira (10) para que o serviço volte a ser oferecido, estão a compra de um gerador para casos de falta de energia elétrica, instalação de uma pia para assepsia dos técnicos que trabalham no IML e melhorias na ventilação.

O prefeito informou ainda que o IGP revelou ter dinheiro em conta para a construção de uma nova sede que será feita no imóvel doado pela prefeitura, mas o local ainda está sendo estudado. “Temos duas opções, terrenos no bairro Barragem e Progresso, já mapeados pela Vigilância Sanitária que em conjunto com o Estado fará a visita para definir o melhor local”, disse.

O Município vai receber o recurso da construção através de um convênio. A Prefeitura fará a licitação, vai executar a obra e entregar a nova sede completamente pronta.  “Será uma estrutura muito maior do que a que tem hoje, cerca de três mil metros quadrados de área e por isso pleitearam um novo espaço já que a área que o IML está hoje está muito comprometida”, finaliza.