Alto Vale
Foto: Divulgação

 

Luana Abreu

 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga possíveis irregularidades na 25ª Festa Nacional da Cebola apontou que o evento teve um prejuízo de R$ 1,2 milhão, valor superior ao que foi anunciado pelos organizadores na prestação de contas do evento que era de R$ 693 mil. A informação foi dada pelo presidente da CPI, Édio Daniel Fernandes, o Edinho (MDB).

 

Um perito foi contratado pela Câmara para fazer uma análise de todos os documentos referentes às movimentações financeiras da Festa. O trabalho está sendo realizado há 45 dias e a expectativa é de que o relatório final seja entregue aos parlamentares no dia 26 de novembro, 60 dias depois do início da apreciação dos documentos. “Como não recebemos a documentação referente à prestação de contas dos integrantes da Comissão Organizadora, nem da Fexponace e nem da administração, tivemos que requerer tudo via Ministério Público. São aproximadamente sete mil páginas de documentos que se referem a essa prestação de contas, e tudo isso terá que ser analisado”, explicou.

 

De acordo com o relator da CPI, Marcelo Machado (PP), no momento, só os documentos da prestação de contas serão utilizados pelo perito. “Depois da apresentação do relatório final, nós vamos estudar a possibilidade de ouvir pessoas que participaram da organização da Festa”, aponta. O presidente da Festa, Adriano Velho, o então presidente da Fundação Fexponace, Jackson dos Santos e o então secretário da Fazenda, Arnito Sardá poderão ser chamados para prestar esclarecimentos.

 

A Comissão

 

Além do presidente e do relator, a CPI é composta pelos vereadores Rodolfo Stadnik Filho (PP), Leandro Heinzen (PSB) e Mário Hillesheim (PSDB). A Comissão Parlamentar de Inquérito tem como propósito investigar as possíveis irregularidades e não de julgar. Depois de pronto, o relatório será lido e votado pelo plenário da Câmara. As informações coletadas serão repassadas ao Tribunal de Contas do Estado e também ao Ministério Público que, terão o poder de julgar e encontrar possíveis culpados.

 

A CPI tem prazo de 90 dias para concluir os trabalhos, a contar da data de instauração, que foi em 6 de agosto. Há a possibilidade de prorrogação pelo mesmo período, mas a expectativa é de que seja votado pelos parlamentares ainda este ano, antes do recesso.