Cidade

Reportagem: Helena Marquardt/Dav

Um levantamento através de cadastros do SOS empresas apontou que o prejuízo inicial a economia da região em virtude do coronavírus já é de R$ 189 milhões. Ao todo já foram mais de 600 cadastros. Mais de 80% são da capital do Alto Vale e o restante de outras cidades. O cadastramento segue até a segunda-feira (13).

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Paulo José Fiamoncini, o relatório parcial mostra como a atividade produtiva de Rio do Sul já foi afetada e ajudará a direcionar o trabalho da prefeitura em pesquisas de linhas de financiamento ou outros programas e formas de ajudar a diminuir os prejuízos aos empresários e, consequentemente, reduzir ao máximo as demissões. “Esse cadastramento já foi utilizado em outras situações, como por exemplo as enchentes e a greve dos caminhoneiros e sempre foi muito importante. Com esses dados em mãos teremos informações para buscar até mesmo linhas de financiamento junto aos bancos e entregar para os políticos, deputados federais e estaduais, para que possam nos ajudar junto ao Governo de alguma forma minimizar esses impactos”, disse.
O empresário Márcio de Souza, de Rio do Sul, conta que seu faturamento caiu cerca de 75% nos dias de paralisação por causa da pandemia de coronavírus e acredita que os impactos ainda serão sentidos a longo prazo. “Daqui a uns 40 dias é que vamos perceber mesmo, mas como a maioria dos brasileiros acredito que vamos ter que levantar a cabeça e continuar trabalhando”, opina.
O cadastramento no SOS empresas, feito através do site da Defesa Civil de Rio do Sul iniciou no dia 1º de abril e inicialmente era apenas para empresários da capital do Alto Vale, mas acabou sendo ampliado para toda a região. “Outras cidades nos solicitaram que abríssemos esse cadastro e decidimos ampliar para todo o Alto Vale entendendo a importância dessas informações”, completou.
A decisão de prorrogação se deve a continuidade do período de suspensão de algumas atividades econômicas em Santa Catarina como o comércio que permanece com as portas fechadas. Todos os setores da economia local relatam problemas relativos a paralisação total ou parcial de suas atividades desde o dia 18 de março.

O empresário Ariel Henrique de Oliveira, que também é presidente da CDL de Ibirama, diz que o comércio de modas foi um dos mais afetados, porque as lojas continuam fechadas, mas acredita que todos os serão impactados. “Percebemos que o mais prejudicado disso tudo é o varejo de moda que não foi liberado ainda, mas mesmo os comércios de outros setores que estão abertos não estão faturando como faturavam antes. Na nossa rede de lojas o faturamento em março foi 60% menor que os meses anteriores e do mês de abril não temos nem expectativa”, disse.

Como preencher o cadastro

O formulário está disponível no site da Defesa Civil (www.defesacivil.riodosul.sc.gov.br) e pode ser preenchido em poucos minutos por empresários dos mais diversos ramos como indústria, comércio, prestação de serviços, agricultura, e autônomos. Basta clicar no menu “SOS Empresas”, para poder preencher as informações requisitadas e não é necessária a apresentação de nenhum documento para comprovar os dados.