Alto Vale
Foto: Divulgação

A Administração de Ituporanga informa que o Procon orienta os consumidores do município sobre o que pode ou não ser exigido nas listas de materiais escolares. De acordo com o órgão os pais precisam estar atentos também ao preço que pode variar bastante de um estabelecimento para outro.

A diretora do órgão, Cinthia Wiese, informa que segundo a lei nº 12.886, de 2013, a lista oferecida pela escola ou curso não pode conter materiais de uso coletivo como álcool, papel higiênico, cartolinas, copos descartáveis já que em instituições particulares esses itens já estariam incluídos no valor da mensalidade e nas instituições públicas são de responsabilidade do Estado ou município. “A escola só pode exigir o que o aluno utiliza e também é proibido especificar a marca ou local da compra na lista”, orienta.

Ela afirma ainda que há várias formas de economizar na compra dos materiais.“Para aqueles que querem realmente economizar o jeito é pesquisar bastante porque percebemos que existe muita diferença de preço entre um estabelecimento e outro”.

Outra dica é reutilizar materiais do ano passado que ainda estão em condição de uso para evitar compras desnecessárias. A troca de livros didáticos entre alunos também pode ser uma boa opção para os pais.

O Procon de Ituporanga tem orientado ainda que nas compras feitas pela internet os consumidores devem pesquisar a credibilidade do site antes de fazer a aquisição, observar a data de entrega e sempre exigir a nota fiscal.