Alto Vale
Foto: Ascom

No decorrer deste ano, o Núcleo de Apoio à Saúde da Família – NASF – com as profissionais: a psicóloga Jésita Maria Eyng e a nutricionista Paula Manoela Nienköetter da Silva – da Secretaria Municipal de Saúde de Ibirama, realizou um projeto nos bairros com foco no emagrecimento, com atendimento aos pacientes de todas as Estratégias de Saúde da Família do município.

Este projeto ofereceu aos pacientes, técnicas para desenvolver habilidades mentais e comportamentais, para manter um estilo de vida saudável, sem sofrer com as restrições . Além de promover uma mudança permanente de hábitos, aprender a lidar com a ansiedade, ter motivação e mudança de pensamentos. Ofertou também orientações nutricionais para melhorar a alimentação, bem como sugestões de receitas saudáveis.

Os participantes demonstraram satisfação com o aprendizado e resultados obtidos nas avaliações do projeto.Uma das participantes aceitou contar um pouco sobre a experiência, após perder 11 quilos até o momento, de forma saudável.

Roselene Goetz Vicente, de 46 anos, participou do projeto no bairro São Miguel e relatou a experiência.

“No final de junho deste ano, em consulta com o médico da Estratégia da Saúde da Família do meu bairro, após ser analisado meus exames, fui alertada que estava com hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2 e colesterol total alterado, devido ao fato de estar acima do peso, encontrando-se no estado nutricional de obesidade grau I”, contou Roselene.

Ela disse que ficou bastante apreensiva naquele momento. Diante disso, ela teve duas opções: realizar acompanhamento com nutricionista ou iniciar o uso de medicação. “No mesmo dia, após sair do consultório médico, fui convidada a participar do Projeto de Emagrecimento desenvolvido pela nutricionista e psicóloga da NASF, que estava iniciando naquela mesma tarde no bairro. Aceitei de imediato e me propus a mudar. Foram sete semanas de acompanhamento no grupo”, explicou.

Para ela o projeto causou uma mudança de vida enorme, que nem acreditava ser capaz. “Foram mudanças drásticas num curto espaço de tempo. Estou me surpreendendo ainda, e uso o aprendizado diariamente. Nos momentos que consumo alimentos que não estão no planejamento, lembro da atividade de “voltar aos trilhos”. Aprendi a mudar minha forma de pensar em relação a comida, a planejar minha alimentação, comer de forma saudável e também passei a ter como hábito a prática de atividade física”, completa.

“Aos 46 anos de idade este projeto me proporcionou um recomeço. Hoje estou com 11 quilos a menos, meus exames estão com resultados excelentes, realizo caminhadas de 3 a 4 vezes por semana e me sinto muito mais saudável. Temos um restaurante e com isto tenho acesso fácil a muita comida e refrigerantes, porém consegui influenciar toda a minha família a mudar, desenvolvendo hábitos mais saudáveis. Só consegui convencê-los após verificarem meus primeiros resultados”. Ela diz ainda que os resultados são gratificantes, e apareceram de forma gradativa, tendo em vista que são hábitos saudáveis e não estas dietas “malucas” restritivas ou com uso de medicações.

Inicialmente os passos seguidos foram mudar alguns velhos hábitos alimentares, como comer brigadeiro de panela, diminuir o consumo de café, extinguir o hábito de tomar líquidos junto as refeições e a “preguiça” de fazer atividades físicas.

“Fui mudando aos poucos e precisei de muita determinação. Percebi que a cada dia ficava mais fácil. A atividade física, com o passar dos dias, me trouxe a sensação de relaxamento, bem-estar e também passei a me sentir mais motivada, sendo que hoje já não consigo mais ficar sem fazer minhas caminhadas, é como uma necessidade do corpo”, enfatiza Roselene.

Ela conclui dizendo que o projeto é maravilhoso e lhe trouxe muitos benefícios. “Às vezes retomo algumas técnicas, como quando sinto que minha ansiedade está elevada, e tenho vontade de compensar na comida. É nota mil. Sinto que estou mais alegre, com mais disposição e também melhorou minha autoestima. Sinto-me outra pessoa”.