Cidade

Para uma cidade que convive com a ameaça das cheias, como é o caso de Rio do Sul, a limpeza dos rios é essencial. Em uma força-tarefa para este fim foi verificado que há muito material não biodegradável, como pneus, que são jogados na água, o que potencializa as enchentes. Pensando nisso o vereador Sargento James propôs o projeto de lei 49/2020, que institui pontos de coleta de pneus inservíveis em estabelecimentos comerciais do ramo. A matéria foi lida na sessão de 29 de maio e será agora distribuída para as comissões permanentes.

Tais estabelecimentos serão obrigados a disponibilizar um local, identificado, para receber os pneus velhos, gratuitamente. O projeto ainda prevê advertência, multa e até suspensão temporária do alvará de funcionamento para empresas que não cumprirem esta determinação, após vencer o prazo de 90 dias após a regulamentação. A prefeitura também teria que criar pontos de coleta.

Sargento James contou que a ideia surgiu depois de participar de mutirões para limpar os rios, sendo que o pneu era um dos objetos mais frequentemente encontrados. “Pneus descartados corretamente, diminuem os riscos de contaminação por dengue, malária e febre amarela, além de preservar o meio ambiente. Esperamos que esse projeto de lei ajude para que cenas como essa não voltem a se repetir em nosso rio”, afirmou o vereador autor em sua justificativa do projeto.

Um pneu leva até 600 anos para se decompor na natureza. Seu descarte incorreto pode contribuir para o entupimento de rios e redes de esgotos, causando inundações e poluição. Só no Brasil, a produção de pneus é de 40 milhões de unidades por ano e a geração de pneus velhos é de 160 milhões. Eles podem ser reciclados para várias finalidades, como o asfaltamento de ruas e estradas (após coprocessamento), artesanato e decoração de jardim.