Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Um projeto diferente vem chamando a atenção dos ituporanguenses nas redes sociais. É que uma moradora decidiu fazer do Dia das Crianças uma oportunidade de realizar os desejos de adultos de quando eles eram crianças. Para participar basta escrever uma carta contando o sonho de infância e entregar na rádio da cidade ou diretamente na casa de Angela Machado até a próxima segunda-feira (4).

O projeto é um tanto quanto inusitado, mas afinal de contas, quem é que nunca sonhou com uma boneca, com um carrinho de controle remoto ou até com uma cesta gigante cheia de guloseimas que nunca ganhou? Para fazer a alegria das eternas crianças, Angela está recebendo cartas com os pedidos e pretende fazer a entrega até o dia 12 de outubro.

“Já recebi 35 cartinhas e se Deus quiser teremos muitas pessoas para adotar essas cartas e talvez até passe do dia 12, mas o que a gente conseguir vamos entregar. Quem adotar a cartinha vai poder levar e eu só quero poder ir junto ver a alegria nos olhos dessas pessoas e sentir esse amor”, ressalta.

Ela explica que para entregar a cartinha ou adotar uma delas basta entrar em contato através das redes sociais ou ir até a rádio local. O prazo para entregar a carta é segunda-feira (4). “Quem quiser ajudar precisa entrar em contato comigo, se morar em Ituporanga pode vir aqui em casa, ler as cartinhas e adotar quantas quiser. Se morar longe eu mando foto da cartinha, compra o presente, mando o endereço e a gente combina para ir entregar. Quem quiser ter o sonho de infância realizado basta deixar a cartinha contando um pouco do seu sonho na rádio da cidade ou diretamente aqui em casa, que fica na rua Hugo Haveroth”.

Ela comenta que dois dos pedidos que recebeu chamaram muito a atenção, as correspondências são de duas mulheres, uma de 57 anos e outra de 83. Ambas sonhavam em ganhar bonecas e chegaram a detalhar os brinquedos. “Eu recebi a cartinha de uma senhora de 83 anos. O sonho dela é ganhar uma boneca bebê e uma sombrinha. Outra pediu uma boneca de pano com os olhos azuis, boca vermelha, cabelo amarelo e vestido vermelho de bolinhas brancas. Agora, imagina chegar lá e entregar isso para as pessoas, ver os olhinhos brilhando. Nada pode pagar ver essa felicidade”, destaca.

E embora seja o Dia das Crianças, Angela já destaca que agora é a vez dos adultos, mas que os pequenos serão lembrados em outra data. “As crianças nós realizaremos os sonhos no Natal, agora é a vez das nossas eternas crianças. A partir de 20 anos podem participar.”

Como surgiu o projeto?

Há alguns anos, a idealizadora do projeto fez um Natal para crianças carentes e para isso precisou se dedicar nos pacotes, compra de guloseimas e chamou a atenção dos proprietários do supermercado que frequentava.

Em uma das compras, a dona do supermercado ficou impressionada com a disposição e as duas acabaram falando sobre realizar sonhos. Comovida com a história de Angela, a proprietária do mercado pediu que ela, com 42 anos, escrevesse uma carta ao Papai Noel. Angela não escreveu a carta e após algum tempo foi convidada a escrever, novamente. Então ela escreveu, entregou a carta e teve seu sonho de infância realizado.

“ Eu chorei de felicidade porque quando criança sonhava com uma cesta bem grande que via no supermercado e nunca pude ter. A Zenaide apareceu na minha casa vestida de Mamãe Noel, no dia 24 de dezembro, acompanhada do Papai Noel e com uma cesta gigante que foi até difícil segurar e foi um sentimento tão bom que eu precisava fazer outros adultos sentirem o mesmo que eu senti. E eu prometi que no Dia das Crianças eu iria realizar o sonho de infância de pessoas como eu, para que sintam o amor e a felicidade que eu senti no meu coração porque é maravilhoso”, lembra.

Angela ainda conta que para ajudar no projeto ela encontrou duas mulheres que reformam e confeccionam bonecas e que a intenção é replicar os modelos que foram pedidos e que hoje nem existem mais para vender. “Há duas semanas eu fui a uma loja que vende linhas e perguntei se sabiam de alguém que fazia bonecas e me indicaram a dona Cecília, que por coincidência apareceu na loja naquele momento. E então fui até a casa dela, pedi as bonecas e encontrei também a Margarida, que é vizinha da dona Cecília e que postou fotos de bonecas reformadas. A partir da ideia dela de reformar bonecas estamos confeccionando e vamos conseguir realizar ainda mais sonhos”, finaliza.