Alto Vale
Divulgação

 

Luana Abreu

 

Firmado entre a Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi) e o Governo do Estado em outubro do ano passado, o Projeto Recuperar está em fase de execução na região, mas a iniciativa esbarra na falta de empresas interessadas em prestar serviços em alguns locais como é o caso da região de Ituporanga.

 

As primeiras parcelas do recurso enviado pelo Executivo à Associação para a manutenção de estradas e rodovias estaduais já somam cerca de R$ 2,7milhões. Os municípios de Petrolândia, Taió, Ituporanga, Vidal Ramos, Presidente Nereu, Atalanta e Rio do Oeste estão recebendo macadamização dos trechos onde ainda não há pavimentação asfáltica. De acordo com o secretário Executivo da Amavi, Paulo Roberto Tschumi, em 127 quilômetros de estradas não pavimentadas, cerca de 70% do trabalho nesses locais já foi concluído.

 

Conforme o secretário, depois que essa etapa for finalizada, as rodovias já pavimentadas destes mesmos municípios também vão passar por manutenção.

“Serão serviços de roçadas, limpezas de canaletas, tapa-buracos e reparos na sinalização”, explica. Alguns locais como Taió, Presidente Nereu e Lontras, por exemplo, já estão recebendo os trabalhos de roçada.

 

De acordo com Beto, a expectativa é de que esses serviços sejam concluídos em pouco tempo para que a prestação de contas do Consórcio com o Governo do Estado ocorra e a terceira parcela do recurso seja liberada.

“Tudo o que foi feito até o momento já foi pago. Esses outros serviços nós vamos fazer o restante do pagamento para as outras empresas”, comenta.

 

Para dar mais agilidade aos trabalhos, o Consórcio optou por dividir o Alto Vale em quatro regiões, nos mesmos moldes de quando existiam as Agências de Desenvolvimento Regional. Simultaneamente, a Amavi também dá sequência aos processos licitatórios para a próxima etapa do Projeto. Segundo Beto, para a operação tapa-buracos das rodovias que integram a região de Ituporanga, não houve nenhuma empresa interessada em prestar o serviço.

“Nós lançamos uma nova licitação para o dia 10 de fevereiro para ver tem alguma empresa que deseja assumir esse trabalho que vai do posto da Polícia Militar Rodoviária em Aurora até Alfredo Wagner, Vidal Ramos e Petrolândia”, pontua.

 

Tschumi explicou que caso nessa nova licitação não surjam empresas interessadas a Secretaria de Estado da Infraestrutura será consultada para contratar uma empresa que possa prestar o serviço.