Alto Vale, Cidade
Foto: Alan Garcia/DAV

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Depois de quase um ano em casa, cerca de 10 mil estudantes da Rede Estadual de Santa Catarina voltaram as aulas presenciais e foi difícil segurar a ansiedade. Para a maioria dos alunos o momento era de felicidade e também de adaptação. Nas 17 escolas da Gerência Regional de Educação de Rio do Sul o esforço para adequar as unidades e orientar crianças e adolescentes era visível e o balanço do primeiro dia foi positivo.

Assim como em todas as escolas, na E.E.B Paulo Cordeiro, em Rio do Sul, os alunos encontraram uma outra realidade. Precisaram entrar um a um pelo portão, tinham que passar pela aferição de temperatura, higienizar as mãos com álcool gel e seguir para as salas mantendo o distanciamento. Os pais também não puderam entrar na escola e tiveram que se despedir de longe, o que para muitos foi motivo de apreensão. O aposentado Marcionei Horst fez questão de trazer o filho e diz que acredita numa volta segura. “A expectativa é grande, foi uma ano difícil até porque ele é autista e foi difícil se adaptar as aulas online, todos tivemos que nos adaptar mas acredito que será muito produtivo. Os professores estão empenhados assim como os pais e será um bom retorno”, disse.

Neste primeiro dia a maior preocupação era principalmente com os estudantes mais novos como os do primeiro ano que estão frequentando a escola pela primeira vez. Em relação a isso os professores têm redobrado as orientações sobre distanciamento e a importância de todos os cuidados para evitar a contaminação pelo coronavírus. Augusto Henrique Greuel, de 5 anos, mostrava orgulhoso os materiais e não escondia a expectativa de frequentar as aulas. “Vai ser bem legal” disse empolgado.

Para a volta segura todas as unidades do estado terão que seguir diversas regras. O chão recebeu marcações para mostrar a necessidade de distanciamento, as carteiras ficam a um metro e meio umas das outras e muitos lugares nos pátios nem podem ser usados. O recreio também passa a ser escalonado, ou seja, tem horários diferentes para cada turma. Mas a principal mudança é que algumas turmas têm aulas presenciais de segunda a sexta, já outras apenas alguns dias por semana por causa do espaço das salas.

A diretora da EEB Paulo Cordeiro, Viviane Kniess Brandt afirma que o dia foi de ansiedade para todos. “Tanto para a direção, equipe administrativa, professores e alunos. Temos algumas turmas com 100% dos alunos, outros escalonados e ainda os que terão ensino remoto. Hoje temos que trabalhar com essa realidade, vivendo a pandemia, respeitando as regras de segurança e fazendo o nosso melhor, mas todos estão muito empenhados em fazer acontecer”, ressaltou.

O supervisor de Educação da Regional de Rio do Sul, Ernani José Schneider, explica que em 2021 foram quase 10 mil matrículas nas 17 escolas estaduais da região, mas eles esperam que este número aumente à medida que as famílias ganhem confiança no retorno seguro das aulas presenciais. “Tudo foi preparado para que pudéssemos receber os nossos alunos e teremos um ano que terá a presença do aluno na escola, não teremos mais retorno em relação a isso e fica o nosso convite a aqueles que ainda não vieram e acreditamos que esses números sejam ampliados”, disse.

Ele declarou ainda que na Regional de Rio do Sul aproximadamente 1.300 alunos não voltaram às aulas porque os pais não se sentiram seguros para mandar os filhos para a escola ou porque os estudantes estão nos grupos de risco. Eles continuam tendo aulas remotas que iniciam no dia mês de março. “Hoje temos 1.300 alunos remotamente. Isso quer dizer que teremos um escola polo, teoricamente virtual, mas que estará presente numa das nossas unidades , onde atenderemos nossos alunos via Google Classroom ou com o professor e aluno online”, finaliza.