Cidade

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Uma micropigmentadora de Rio do Sul trouxe para a capital do Alto Vale um projeto internacional que busca resgatar a autoestima de mulheres de baixa renda que passaram por algum tipo de experiência traumática.  Através do “Pague com um sorriso”, elas têm acesso à micropigmentação de forma totalmente gratuita e podem se sentir mais bonitas.

O projeto totalmente voluntário é desenvolvido pela esteticista e atualmente estudante de biomedicina, Kauana Samana.  Ela conta que resolveu trazer a iniciativa para a região como forma de agradecer ao reconhecimento de seu trabalho no Alto Alto Vale ao longo de toda a carreira. “Cheguei a marca de mais de três mil procedimentos de micropigmentação de sobrancelhas e mais de 15 mil em design ao longo desses oito anos e me sinto muito abençoada, por isso quero retribuir através desse projeto que foi lançado pela PhiAcademy e que conheci numa especialização internacional”, afirma.

Ela esclarece que o foco são todas as mulheres que passaram por experiências traumáticas. “Vítimas de acidentes, pessoas com doenças de pele, que sofreram queimaduras ou até mesmo quem vai iniciar ou já terminou o tratamento de câncer. Meu objetivo é devolver o sorriso a essas pessoas que passaram por fortes provações”, explica.

A manicure Silvia Letícia da Silva Ferreira foi a primeira paciente a ser beneficiada. Ela teve câncer e precisou fazer a cirurgias de retirada das mamas. Devido ao tratamento contra a doença também perdeu os cabelos e as sobrancelhas. “Tive um câncer que não reage as medicações pós-quimioterapia e por isso serei uma eterna paciente oncológica, apesar de estar em remissão precisarei monitorar eternamente. Devido a doença perdi todos os pelos e tive vários cortes e mutilações que acabam afetando a autoestima. Esse trabalho da Kauana vem para lembrar que você tem uma beleza acima de qualquer outra coisa”, opinou.

Ela completa dizendo que o fato se se olhar no espelho  e ver uma sobrancelha bonita eleva a autoestima e acredita que isso impacta até mesmo na saúde física. “O fato de se olhar no espelho altera muito esse processo de autoaceitação e de se conhecer novamente, porque você nasce de novo e para mim esse trabalho dela foi muito significativo. Ajuda até no processo do tratamento em si, porque se você está bem isso se reflete na cura e sei que vai fazer a diferença na vida das outras mulheres que passarem pelo procedimento”, conclui.

Inicialmente será um atendimento gratuito por mês. Para participar basta preencher um cadastro e aguardar o contato da profissional. Se a demanda for muito grande as beneficiadas serão definidas por sorteio.