Alto Vale
Foto: Arquivo/DAV

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Os novos radares do Alto Vale instalados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), começarão a operar ainda este mês. Em cinco cidades da região, a partir do dia 31 de agosto eles iniciam a medição de velocidade e consequentemente os motoristas já poderão ser multados. Nos demais pontos a previsão é o dia 8 de setembro.

O superintentendente do Dnit na região, Christiano Zulianello, explica que a ideia era que todos os equipamentos começassem a funcionar simultaneamente, mas isso não foi possível. “Infelizmente não conseguimos fazer isso por um acordo judicial que o DNIT tem que cumprir e também a Coordenação Geral de Operações Rodoviárias, que fica em Brasília, entende que no contrato cada equipamento deve iniciar a operação conforme ele vai ficando pronto”, esclarece.

Conforme o cronograma, o primeiro lote a entrar em operação será de dois controladores eletrônicos de velocidade (sem display) em Pouso Redondo e Curitibanos, e redutores eletrônicos de velocidade (com display) em Rio do Sul, Lontras e Ibirama e Ascurra.   Já o segundo lote, que inicia no dia 8 de setembro, contempla mais quatro redutores em Rio do Sul e dois em Trombudo Central, além de um controlador em Pouso Redondo e outro em Curitibanos.

Para evitar confusão entre os motoristas o órgão alega que acordou com a empresa responsável pela implantação que o início da operação seria por lotes. “Nunca vai ter um equipamento só funcionando sozinho. Os primeiros que vão começar a operar no dia 31 de agosto já estavam prontos, testados e com placas de sinalização. O segundo lote contempla equipamentos que ainda estão sendo instalados e aprovados, passando por revisões e recebendo placas”, completa Christiano.

Um terceiro lote está previsto para a metade de setembro, mas ainda sem data divulgada.

O superintendente do DNIT revela ainda que os equipamentos que não entrarão em funcionamento neste primeiro momento serão cobertos com plásticos pretos. “O usuário vai passar pelo equipamento e se ele estiver com o saco plástico saberá que não está funcionando. Fica bem claro e não gera nenhum tipo de confusão”, disse.

Lombadas físicas serão retiradas

As lombadas físicas de Trombudo Central e Apiúna, que foram implantadas após a desativação dos antigos radares, devem ser retiradas após todos os equipamentos entrarem em funcionamento. “Serão removidas. Elas permanecem até depois do início da operação dos radares justamente para que não fique nenhum momento sem dispositivos de segurança”, finaliza.