Alto Vale
Foto: Divulgação/ Polícia Civil

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Quatro municípios do Alto Vale foram alvo da Operação Nicotiana deflagrada  na manhã desta quinta-feira (10) pela Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Estelionatos e Defraudações (DD/DEIC). A investigação busca apurar o suposto esquema fraudulento onde agricultores são aliciados para ingressar com ações judiciais de indenização contra a Celesc por danos decorrentes de falta de energia elétrica, muitos utilizando laudos fraudulentos.

A Operação Nicotiana, cumpriu sete mandados de busca e apreensão nas cidades de Rio do Sul, Ituporanga, Vidal Ramos e Pouso Redondo. O delegado de Polícia responsável pela operação, Pedro Mendes, explica que os agentes estiveram em dois escritórios de advocacia, casa de agricultores e casa de agrônomos.

A investigação iniciada no ano passado busca apurar o suposto esquema fraudulento onde agricultores são aliciados para ingressar com ações judiciais de indenização por danos decorrentes de falta de energia elétrica, muitos utilizando laudos fraudulentos. “As investigações apontam que eram falsificados laudos utilizados em ações indenizatórias contra a Celesc. Agricultores de fumo ingressaram com as ações alegando que tiveram o tabaco estragado enquanto ele estava secando e ocorreram quedas de energia. Eles alegam perda da produção só que apuramos que os laudos que quantificam o valor perdido não correspondem à realidade. Da mesma forma a qualidade do fumo que é perdida, eles diziam que era do tipo A quando na verdade era de um tipo inferior”, revela.

Ele comenta que esse esquema vinha causando um prejuízo milionário à Celesc que chega a mais de R$ 25 milhões e, por consequência, aos cofres públicos e aos consumidores do estado. “Só nesse ano foram mais de 1.200 ações utilizando esses laudos aí na região do Alto Vale, causando um prejuízo estimado de R$ 26 milhões para a Celesc”, completa.

Além da equipe da Deic, apoiaram a operação equipes da DIC de Ituporanga, de Rio do Sul e do Instituto Geral de Perícias (IGP).

Nome da operação

O nome da operação tem origem no gênero de plantas Nicotiana que dão origem ao tabaco.