Alto Vale, Política

O senador Jorginho Mello declarou nesta terça-feira (7) que sua relação e a da deputada Federal Carmen Zanotto com o ministro da Saúde, Luiz Mandetta, estaria ajudando Santa Catarina através da agilidade na liberação para que a WEG produzisse de 500 a mil respiradores.
Ele declarou ainda que é o único senador catarinense que está em Brasília durante a pandemia da Covid-19, enquanto o secretário de Articulação Nacional, Diego Goulart está em Santa Catarina.
Ademar Paes, presidente da Associação Catarinense de Medicina, e Mário Cezar de Aguiar, presidente da Fiesc se reuniram com o senador de forma remota e fizeram o pedido.
Após a reunião com ambos, Jorginho Mello disse que procurou o ministro da Saúde, Luiz Mandetta, acompanhado da deputada Federal e coodenadora de combate ao coronavírus em todo o Sul do País, Carmen Zanotto, e foi atendido imediatamente. Ao apresentar os dados produzidos em conjunto com a ACM e Fiesc, recebeu de prontidão autorização do Ministro.
“O nosso trabalho é para salvar vidas, Santa Catarina tem essa característica de superação, nosso estado é formado por gente trabalhadora. A gente tem acompanhado e oferecido suporte para o ministro da Saúde, enquanto muita gente leva problema, nós de Santa Catarina levamos solução. Não poderíamos ficar reféns de burocracia”, ressaltou Jorginho Mello” comentou.
Após o sinal positivo do ministro ele declara ainda que teve outra supresa positiva. “Todo equipamento produzido por vocês, será destinado para os estados do Sul. Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul”, afirmou Mandetta.
“A gente tem se dedicado exclusivamente, não podemos nos furtar de trabalhar, trabalhar por Santa Catarina, trabalhar pelo nosso povo”, ressalta a deputada Federal Carmen Zanotto.
Com a autorização, agora a expectativa é para começar os trabalhos da WEG, o plano é viabilizar de imediato a compra de todos os componentes necessários para produzir até mil respiradores.