Cidade
Foto: Elisiane Maciel - De acordo com alguns lojistas, as vendas deste Natal superaram as de 2016.

Mais um Natal passou, e para os lojistas, esta é a reta final de vendas e oportunidades de finalizar bem o ano. O pessimismo usado no tempo de crise sai de cena e aquilo que era cautela se transforma em confiança.

Em conversa com alguns lojistas de Rio do Sul, o relato é de que o movimento em relação a 2016 foi muito melhor.  “Esse ano o mês de dezembro no geral, está melhor que o anterior. Nas conversas com o pessoal do comércio, a maioria está contente”, contou a gerente de uma loja de roupas e calçados, Mariana Petry.

De acordo com a proprietária de outra loja, também de roupas e calçados, Andreza Wiggers, as vendas aumentaram bastante em comparação ao Natal passado. O crediário também cresceu. “Além dos clientes fiéis, novos clientes nos procuraram para abrir fichas. No decorrer deste ano os consumidores estavam segurando mais as compras. Estamos ainda passando por essa crise econômica no Brasil, mas neste Natal a gente se surpreendeu com as vendas e está sendo melhor que o de 2016”, completa Andreza.

De acordo com o Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Rio do Sul, Daniel Emilio Tschumi, em relação ao balanço oficial das vendas do comércio rio-sulense, o levantamento está sendo feito. “Ainda não foi realizado o parâmetro porque os dados de consultas e vendas estão em processo de coleta até o momento”, explica Daniel.

 

Trocas dos presentes

Como praticamente todos os presentes já foram entregues na comemoração natalina, agora é a hora de fazer a troca do que não serviu ou não agradou. Em algumas lojas as trocas já iniciaram antes mesmo do Natal. “Já começamos as trocas desde o dia 22 de dezembro. Muita gente antecipa as comemorações do Natal para poderem viajar”, conta Mariana.

Nesse momento de trocas, surge aos comerciantes, a oportunidade de fazer novos negócios e agregar compras. “Nas trocas sempre conseguimos vender mais algum produto e é muito difícil o cliente trocar o presente por outro com o mesmo preço da etiqueta. Geralmente eles acabam pagando a diferença e comprando mais peças”, comenta a vendedora Lidiane Wiggers.

Daniel também diz que “a partir do Natal até a virada do ano, vale a pena os lojistas deixarem o comércio aberto”, que segundo ele, nesse momento das trocas é que os vendedores aproveitam para conquistar o cliente que às vezes nunca comprou na loja, ou não é da cidade, e acaba por comprar aqui e conhece o comércio local. “Isso agrega o movimento sim”, enfatiza Tschumi.

Segundo Mariana, além das trocas, o movimento continuará bom até a virada de ano. “Temos clientes que trabalham muito antes do Natal e não conseguem vir fazer as compras, então a partir de agora essas pessoas vão comprar. Além disso, neste momento começam as vendas para o Ano Novo e para quem vai viajar, como roupas de praia e de verão”, explica.

Andreza conta que as trocas são feitas de acordo com a análise do produto e presença da etiqueta. Se o produto estiver conforme, a troca é efetuada sem documento nem nota fiscal. Porém, é importante ressaltar que cada loja tem suas regras em relação à essa avaliação.

No que se refere às promoções de queima de estoque, a maioria das lojas deixará para o mês de janeiro, assim a coleção atual diminui para dar espaço às da nova estação.

Elisiane Maciel