Esporte
Foto: Beto Lima JEC - Grampola foi o melhor jogador do Joinville em 2017

Joinville não teve muitos motivos para comemorar no ano de 2017. O time do Norte de Santa Catarina manteve o jejum de títulos no estadual e não conseguiu atingir a principal meta da temporada: o acesso à Série B. Com uma campanha bem irregular, o JEC ficou fora do grupo que avançou à segunda fase e vai ter que recomeçar do zero.

O mito

Rafael Grampola foi, indiscutivelmente, a melhor contratação do time na temporada 2017. O experiente atacante de 29 anos, colocou em prática a fama de goleador e não poupou os adversários do JEC. Desde maio no Norte de Santa Catarina, o atleta marcou 20 gols. Mesmo com a eliminação precoce na Série C, Grampola teve bons motivos para comemorar. Afinal, foi o artilheiro da competição nacional.

Diretoria

Jony Stassun nunca foi unanimidade entre a torcida do Joinville. Ao assumir o cargo após a saída de Nereu Martinelli, o mandatário foi colecionando críticas. A fraca atuação do time na terceira divisão, junto com os problemas salariais, levaram um grupo de conselheiros do clube a pedir o impeachment do cartola. Dias depois, uma reunião selou o acordo da atual gestão com a chapa de oposição. Com a decisão, Vilfred Schapitz vai assumir o clube nos próximos meses.

Banho de água fria

Depois de duas quedas consecutivas, a torcida do Joinville tinha esperança no retorno à Série B. Pela estrutura, composição do elenco e folha salarial, os tricolores viam como obrigação terminar a Série C entre os quatro melhores, mas não foi bem isso que aconteceu. Com uma primeira fase bem irregular, o time comandado por Pingo ficou no meio do caminho. No Grupo B, com equipes do Sul e Sudeste, o Joinville terminou em quinto, com 25 pontos, a mesma pontuação do Volta Redonda, o quarto colocado, mas com dois gols de diferença no saldo.

Desempenho fora

Se tem uma coisa que pesou para o baixo desempenho do Joinville na temporada foi a irregularidade fora de casa. Como visitante, os números são péssimos. A equipe conseguiu apenas duas vitórias longe da Arena Joinville, uma no estadual e outra na Copa do Brasil. Foram 26 jogos, com 13 derrotas e 11 empates.

Não rendeu

Com a eliminação precoce na Série C e a Copa Santa Catarina pela frente como a última competição do calendário tricolor no ano, a comissão técnica decidiu preservar os jogadores titulares para o Catarinense e dar oportunidades aos atletas formados nas categorias de base do clube. A ideia não deu muito certo. O JEC perdeu a liderança e não conseguiu a classificação à final – o Tubarão levantou a taça após bater o Brusque.

Ano novo, tudo novo

Com o planejamento traçado para a temporada fracassado, o Joinville resolveu apostar em alguém com bons resultados no currículo: Rogério Zimmermann. Em 2017, Zimmermann ultrapassou a marca de 400 jogos no comando da equipe xavante. No Norte de Santa Catarina é a esperança em 2018 para o título estadual e o retorno à segunda divisão.