Cidade
Foto: Divulgação

Uma reunião entre a Polícia Civil, Polícia Militar, Guarda Municipal, Sindcomércio, CDL, Associação Comercial, representantes da Secretaria de Assistência Social e Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo realizada nessa sexta-feira teve como objetivo traçar ações que auxiliem a comunidade e também moradores em situação de rua que vivem no município de Rio do Sul.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo, Paulo Fiamoncini, todos os anos é realizado um encontro entre as secretarias, Polícia Militar e Polícia Civil além da Guarda Municipal, mas nesse ano a reunião reuniu também representantes do comércio para tratar de uma ação ainda mais importante: as oportunidades de emprego para essas pessoas. “Todos os anos nós nos reunimos com a segurança e com diversas secretarias do município com o objetivo de conversar sobre essa questão dos andarilhos e dos pedintes de sinaleira pois essa é a época em que nossa cidade se torna trajeto para o litoral e acaba sendo um ponto de parada, então nós temos a preocupação de saber quem são essas pessoas até por uma questão de segurança. Nesse ano nós criamos um grupo para tratar dessas questões justamente para que a gente possa estar sempre conversando e agindo juntos para dar o melhor auxílio para essas pessoas e também para cuidar da segurança da nossa cidade”, relata.

Paulo Fiamoncini ainda explica que as secretarias possuem ações para ajudar aqueles que passam pela cidade e acabam ficando por algumas semanas fazendo trabalhos em diversos pontos da cidade. “Nós temos várias ações na prefeitura para dar o auxílio também como Centro POP que distribui alimentação e o Programa emergencial de Auxílio-Desemprego (Pead) que essas pessoas são encaminhadas. Por isso essa reunião tinha como objetivo também salientar a questão de não dar esmola, mas proporcionar emprego para essas pessoas pois o rio-sulense tem o costume de ser solidário e isso é muito bom, mas precisamos também pensar na oportunidade de emprego e mostrar para as entidades que participaram como a CDL o Sindicato do Comércio por exemplo, como a gente já trabalha há alguns anos e como eles podem ajudar na questão de empregabilidade. Além disso a Polícia também pode ficar por dentro e alerta sobre as questões de investigação dessas pessoas para garantir a segurança na nossa cidade”, finaliza.