Alto Vale, Saúde
Foto: Divulgação

Rafaela Correa/DAV

Um dos exames mais importantes para uma mulher que aguarda a chegada de um filho é a ultrassom, seja para saber o sexo, monitorar a saúde do bebê ou ouvir os batimentos do coração. O fato é que o exame pode custar caro e por isso é tão importante o apoio do Sistema único de Saúde (SUS). Em Rio do Campo, um mutirão para exames de ultrassom obstétrico que iniciou nessa terça-feira (19) vai zerar a fila de espera no qual se encontram mais de 30 mulheres.

Pensando no bem-estar e na saúde das mulheres, a Secretaria de Saúde de Rio do Campo promoverá o “Mutirão Obstétrico”. O objetivo da ação, segundo assessoria de imprensa é atender a demanda de exames que estão em fila de espera da Secretaria Municipal de Saúde.

A realização da ultrassonografia durante a gravidez é muito importante para a obtenção de informações sobre a saúde do bebê, além de fornecer as informações necessárias para o acompanhamento seguro da gestação. Segundo o prefeito, Vidal Balak, outros mutirões deverão ser realizados nos próximos meses. “Nossa intenção é esvaziar a fila de espera por este atendimento e atender as mães com a realização destes exames, no período gestacional correto. Esta é a primeira edição do mutirão de saúde. Pretendemos realizar outros mutirões conforme a demanda indicada pelos profissionais da Secretaria de Saúde, respeitando as filas de espera e a urgência dos exames”, explicou o prefeito.

De acordo com o secretário de Saúde, Cléberson Kuhnen (Tafinha), nos próximos meses outros mutirões serão programados já que a intenção é zerar filas de espera. “Não se pode mais deixar os pacientes com pedidos de exames urgentes nas filas de espera. Essa administração está comprometida em atender a todos o mais rápido possível. Vamos acabar com essa demanda reprimida, e já estamos planejando outros mutirões para os próximos meses” disse ele.

Fernanda.J.Marafon é uma das gestantes que aguarda pelo exame. Ela conta que fez a solicitação no ano passado, mas que está difícil conseguir o exame. “É um momento muito importante para as gestantes, um dos exames mais importantes e que é difícil de conseguir. A gente sabe que tem o direito de fazer pelo SUS, então já solicitei em setembro do ano passado, mas até agora não consegui agendar. Recebi essa semana um contato da Secretaria de Saúde, no qual disseram que estão com a minha solicitação e quando vi o anúncio desse mutirão fiquei feliz. Acredito que vou conseguir finalmente o exame”, afirma.

Fernanda diz ainda que por não ter conseguido pelo SUS, ela precisou pagar para fazer mensalmente, mas que quer ter acompanhamento contínuo no fim da gestação. “Fiz ultrassons quase todos os meses particular. Tenho uma preocupação muito grande com a gestação já que tive um aborto espontâneo no início do ano passado. Eu continuo com a minha solicitação em aberto pelo SUS na Secretaria de Saúde para que eu possa ter agora no final da gestação um acompanhamento médico mais contínuo”, completa.

A equipe da Secretaria de Saúde já começou a entrar em contato com as pacientes para fazer o agendamento da data, horário e o local em que será realizado o procedimento.