Esporte
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa

O amor pelo futebol veio muito cedo. Marcos Moser é natural de Rio do Oeste e desde criança, com apenas cinco anos de idade jogava futsal com o seu irmão, Mateus Moser. Hoje, com 22 anos, o jovem apegado à família joga profissionalmente pelo Juventus.

Com 12 anos eles fizeram o primeiro teste em um projeto chamado “Bola no pé caderno na mão”, em Rio dos Cedros. No teste passaram os dois.

Em 2011, com 13 anos de idade eles se destacaram e foram chamados para um novo teste, só que no Atlético Paranaense. Para a alegria deles e de seus pais, o resultado foi positivo em dose dupla. Eles passaram no teste e começaram a jogar. Dois anos depois o irmão saiu e Moser continuou no time até 2017.

Marcos conta que seus pais são grandes apoiadores de sua carreira. “Eles investiram muito em nós. Chegaram a pegar dinheiro emprestado porque todos os finais de semana a gente saía para jogar e precisava dormir nessas cidades. Sempre que tinha jogo eles iam assistir”, explicou.

Após a saída do Atlético Paranaense, o lateral direito voltou para Rio do Oeste e ficou apenas duas semanas parado, já que acertou a ida para o Coritiba Futebol Clube. Naquele ano foram vice- campeões do Campeonato Brasileiro Sub-20. Marcos lembra que no ano seguinte, em 2018 começou a jogar profissionalmente no Coritiba. Jogaram o campeonato Paranaense, alguns jogos da Copa do Brasil e quando tudo parecia ir bem, ele teve uma lesão no joelho esquerdo, rompeu três ligamentos e precisou dar um tempo nos jogos.

“Quando lesionei o joelho eu pensei que não voltaria a jogar no mesmo nível, estava crescendo bastante e vieram muitas dúvidas. Não sabia se voltaria a mesma coisa, se continuaria no futebol. Fiquei com medo, mas tive esperança e fui reagindo bem à lesão”, disse ele.

De junho de 2018 até outubro de 2019 Marcos ficou em recuperação na fisioterapia. Depois ele voltou a treinar, mas só voltou a jogar este ano, no Juventus. “O meu contrato com o Coritiba é até o final desse ano e por estar esse tempo parado, eles acharam melhor não me usar agora. Me colocaram em outro clube para acompanhar o desempenho nessa fase de recuperação”, justificou.
Ao todo já são sete jogos pelo time e a vontade de vencer só aumenta. Na semana passada o Juventus eliminou o Figueirense do Campeonato Catarinense por 4 gols a 1. “O primeiro jogo contra o Figueirense nós perdemos e voltamos tristes, mas continuamos treinando, preparando e agora conseguimos um bom resultado no jogo de volta”, explica ele.

O seu maior sonho é voltar a jogar a Série A e destacar-se no cenário brasileiro. “Eu pretendo aqui no Juventus poder ser campeão, mostrar meu futebol, me destacar no Estado e voltar para o Coxa para poder renovar meu contrato, já que sou emprestado de lá. Quero me destacar no cenário nacional e jogar em um grande clube além do Coritiba aqui no Brasil”, completou.

Marcos Moser é um grande talento no Alto Vale, mas certamente há outros talentos, outros sonhos e é por isso que ele deixa um recado: “Tenha fé em Deus. Quando passei por momentos difíceis foi Ele quem me ajudou. Então, por mais que as coisas não aconteçam como o esperado, não desista! Sempre lute e dê seu melhor, porque quando a gente dá o nosso melhor, o trabalho é recompensado”, finaliza.