Cidade, Saúde
Foto: Divulgação

Cláudia Pletsch/DAV

A tão esperada vacinação contra a Covid-19 pode estar mais próxima do que se imagina, e de acordo com a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) a imunização deve iniciar no mês de fevereiro, por isso muitas cidades já estão utilizando a verba destinada pelo Governo Federal a estados e municípios para fazer a compra de seringas e agulhas e garantir que toda a população possa receber a vacina. Em Rio do Sul não é diferente, o município conta com 35 mil agulhas e seringas em estoque aguardando as definições do Ministério da Saúde e do Governo do Estado.

De acordo com a secretária de Saúde de Rio do Sul, Roberta Hochleitner, essa quantidade é suficiente para imunizar as pessoas que fazem parte dos três primeiros grupos a serem vacinados. Conforme definição do Ministério da Saúde no primeiro grupo estão os trabalhadores da saúde, pessoas acima de 75 anos, população indígena e idosos que vivem em instituições de longa permanência. O segundo grupo a ser vacinado deve ser de pessoas acima de 60 anos. Já a terceira fase da vacinação vai imunizar pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras). Na quarta fase os professores, funcionários do sistema prisional e as forças de segurança e salvamento serão vacinados. Para o restante da população ainda não existe uma definição.

No município a secretária afirma que a vacinação deverá acontecer em todas as Unidades de Saúde e em formato drive-thru no Centro de Eventos Herman Purnhagen, como vinha acontecendo com a testagem em massa. Roberta explica ainda que pessoas acamadas serão vacinadas na própria residência. “Nós temos hoje uma quantidade de seringas em estoque e ainda uma compra chegando para a gente já para estar atendendo essa população dos primeiros grupos e já estamos fazendo uma nova licitação para estar atendendo se for necessário e no caso de uma segunda dose. A primeira, segunda e terceira fase de vacinação elas dão em torno de 18 a 20 mil pessoas então a gente tem estoque sobrando” completa.

A secretária revela ainda que o Governo do Estado se comprometeu a enviar aos municípios os materiais necessários, além da vacina, mas que o estoque é uma forma de prevenção caso esses itens não sejam encaminhados. Além disso ela explica que as seringas e agulhas adquiridas pela Administração Municipal são compatíveis e adequadas para a vacina. “Foram nossos técnicos que avaliaram, que já são responsáveis pelas campanhas de vacinação, junto com a Secretaria de Estado”, justifica.

Roberta explica que foram R$18 mil gastos para a compra das seringas e agulhas e que esse valor é proveniente dos recursos disponibilizados aos municípios para o combate a Covid-19.

Em entrevista ao DAV no mês de dezembro de 2020 o prefeito José Thomé afirmou que espera que Rio do Sul saia na frente e por isso já possuía também um valor reservado caso o munício precise aportar recursos para a compra das vacinas. “Outra ação que já estamos encaminhando é a compra das conservadoras de vacina para 11 salas de vacinação e faço questão de dizer que temos um valor de R$ 2,5 milhões para caso haja necessidade de o município aportar recursos para a compra das vacinas”, informou.