Cidade
Foto: Helena Marquardt

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

s consumidores que estiverem com dívidas em atraso terão uma oportunidade única de renegociar as contas com condições especiais. A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC) em conjunto com as CDLs de todo o estado promove de 29 de julho a 7 de agosto o ‘Feirão SPC Regulariza Seu Nome’. Só a capital do Alto Vale conta com 17.500 pessoas negativadas.

Um levantamento feito pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Rio do Sul aponta que são 29.051 registros de inadimplência atribuídos a essas 17.500 pessoas. “Juntas todas essas dívidas somam R$ 22.143,318,19. Rio do Sul é uma das cidades de Santa Catarina com maior percentual de endividamento e esta é uma oportunidade tanto para o lojista recuperar esses valores, quanto para o cliente limpar o seu nome e voltar a comprar”, afirma o presidente da CDL, Francisco Cardoso.

O levantamento ainda apontou que a População Economicamente Ativa (PEA) segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral é de 49.741 pessoas em Rio do Sul e 35,20% delas estão endividadas, um percentual considerado extremamente alto.

O gerente Comercial da FCDL/SC e coordenador do feirão, Valdemir Manoel da Silva, ressalta que o perfil de grande parte da população é gastar muito mais do que ganha e por isso muitos acabam não conseguindo honrar seus compromissos. Ele conta que a ideia do feirão surgiu quando uma pesquisa da entidade apontou que mais de 50% das pessoas que vão aos balcões do SPC para consultar seu CPF perguntaram se poderiam negociar e regularizar suas pendências diretamente na CDL de sua cidade, sem necessidade de ir à empresa. “A partir disso, e durante a pandemia, amadurecemos a ideia e tornamos a CDL a negociadora entre as partes interessadas para facilitar o processo. É uma grande oportunidade para que o cliente possa quitar as dívidas, ficar no azul e regularizar o nome, principalmente em tempos de pandemia e crise”, disse.

Para participar do Feirão as empresas precisam ir à CDL da cidade e aceitar conceder o desconto mínimo de 50% em juros e multas durante os 10 dias do evento. O único custo será de R$ 1,98 do boleto da negociação ou das parcelas. Já o consumidor pode optar em fazer a negociação na CDL ou diretamente da empresa com a qual tem a dívida.

Ele destaca que durante o evento o inadimplente já sai com a situação resolvida, contrato assinado, boleto impresso e pagando a primeira parcela já fica no azul. Já o devedor ganha mais um ponto de negociação, além da sua empresa, e não paga nenhuma comissão por isso.

Ao citar uma dica para os consumidores que estão no vermelho, Valdemir diz que negociação é uma boa solução. “A dica é negociar, tomar a iniciativa, procurar as empresas para as quais deve e propor uma negociação dentro de suas possibilidades. Se puder vender algum bem para quitar as dívidas, essa é uma boa opção, mas é uma decisão individual, a ser avaliada. Além disso os consumidores podem também buscar uma fonte de renda adicional se isso for possível, ou seja, um segundo trabalho ou algo semelhante”, finaliza.